08 de Janeiro de 2016

A minha carta de apresentação

Prazer, me chamo Fernanda, tenho 32 – quase 33 anos -, moro em Niterói – RJ, sou filha única, jornalista, aquariana, casada, torcedora do Flamengo, amante do futebol, sem noção alguma de moda, mas apaixonada por bolsas, amante do chocolate, da cervejinha gelada e do vinho. Adoro experimentar comidas, mas descobri que não sou fã do fogão. Sempre quis ter um cachorro, mas não convenci o meu pai e agora o meu marido. Sou desorganizada, esquecida e furona. A minha maior paixão é escrever. No mesmo nível de amor está a leitura. Amo viajar nos livros.

fernanda

Tenho pavor de avião, barata, pessoas falsas, vitimismo, gente chata, doenças, médicos, obrigações, arrogância, violência, dor, acidentes, sangue, azeitona e café. Amo filmes românticos, cheiro de terra molhada, pôr do sol, lua cheia, recordações, minhas agendas, lembranças, meus amigos, meus pais, meu afilhado, meu maridinho, minha casa, comer bem, experimentar novos sabores, descobrir autores que quase ninguém conhece, Gilmore Girls, músicas e cartas.

Tenho um jeito de olhar a vida que é bem diferente da maioria das pessoas e isso é motivo de elogios e críticas pesadas. Amo ou odeio, não sei ficar no meio termo. Sou intensa em tudo que faço e vivo. Se não estou satisfeita com alguma situação, dou um jeito de sair logo fora dela. Detesto quando alguém me diz que todo trabalho “tem o lado chato, que você nunca vai fazer apenas o que gosta”. Sempre acho que isso é um discurso de comodismo e o “ser acomodado” me deixa enjoada.

Fernanda 2

Tenho sonhos, planos e metas. Todos os dias quando vou dormir, penso em tudo que quero realizar e tento descobrir maneiras para chegar lá. Estou tentando me afastar e não dar ouvidos para todos aqueles que amam dizer que algo não vai dar certo. Quero o negativo bem longe de mim, sou daquelas que preferem enxergar a metade cheia do copo. Me irrito com os “oh, céus! Oh, vida!” que não fazem nada para que a vida mude.

Nunca tive medo de trabalho, mas sempre escolhi me diverti em todos eles. Já trabalhei com recreação de festas infantis, recreação de hotel, jornal da faculdade, assessoria de imprensa, produção cultural, como atriz, jornalista esportiva, marketing esportivo no meu clube do coração, comunicação interna das olimpíadas e escritora. Conheci pessoas incríveis que sempre vou levar comigo. Também conheci gente que quero esquecer de tão sem nada para acrescentar que algumas pessoas são.

entrevistas

Sou vibrante com aquilo que amo, tenho brilho nos olhos quando falo ou faço o que gosto, tenho orgulho de tudo que fiz até hoje, pois acredito que cada um que passou pela minha vida e cada escolha que fiz ao longo do tempo foram os responsáveis pela minha construção.

Sinto saudades de amigos do passado, da época da escola, prédios que morei, pessoas legais que cruzaram o meu caminho, meu avô, de comer sem engordar, da época que ninguém ficava enchendo o meu saco com a pergunta “quando vai ter um neném”, do teatro, viagens de carro, férias de verão sem ter que fazer nada além de me divertir, livros que já li, conversas que não vão se repetir e amigos que foram morar longe.

teatro

Acho legal parar todo ano para pensar um pouco em quem sou eu. Vivemos em constante mudança, conhecemos coisas e pessoas novas, criamos novos planos, sonhos e metas. É legal perceber como algumas coisas não mudam nunca e outras mudam totalmente. O importante é a gente sempre mudar apenas porque decidimos mudar e não porque outra pessoa sugeriu a mudança para a gente.

“Prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”.

Prazer, essa sou eu! =)