30 de Novembro de 2015

A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata – Romance epistolar imperdível!

Descobri em um blog uma postagem sobre os dez melhores livros para ler no verão e um deles tinha o título A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata. Não perdi tempo e corri até a livraria mais próxima para garantir o meu. Não, não foi apenas o título, mas o fato de ser todo escrito através de cartas – romance epistolar -, ele se tornou totalmente irresistível para mim.

Quando comecei a ler Sociedade literária e a torta de casca de batata – ai, gente! não canso de repetir esse título!! – já suspeitava que iria amar, só não imaginava a quantidade de emoções que esse livro despertaria em mim. Confesso que antes de sair em disparada para a livraria, não tinha lido a sinopse direito, parei na parte que dizia que era um romance epistolar e pensei – Oi? Como não tenho esse livro ainda? – E fui atrás dele sem nem mesmo saber que a história acontecia no final da Segunda Guerra Mundial, nem que era sobre uma escritora e muito menos que falava sobre tantos livros e autores queridos.

sociedade literária e a torta de casca de batata

A cada página que passava e fazia essas descobertas, meu coração saltava. É tão bom quando descobrimos por acaso livros que nos fazem suspirar, que nos enchem de um algo mais que apenas eles são capazes de nos dar, não é? Imaginem só se um dia vocês que amam ler, recebem uma carta de alguém que comprou em um sebo algum livro que já pertenceu a você e que tinha o seu endereço em uma das páginas, apenas para perguntar se você teria outro livro do mesmo autor ou algum gênero parecido com aquele para indicar.

É assim que começa a história. A partir daí a protagonista, que é uma escritora começa a se corresponder não só com ele, mas com todos os amigos dele que moram na ilha de Guernsey e que viveram toda a experiência da ocupação Alemã durante a Segunda Guerra Mundial.

Ilha de Guernsey

Não quero contar muito para não dar spoiler, mas o que posso dizer é que esse é mais um daqueles livros que todo mundo PRECISA ler. Não tem como não se apaixonar. É impossível sair dele da mesma maneira que entramos quando começamos a leitura. Ele mexe com a gente, nos ajuda a pensar em todo o sofrimento causado pela intolerância e ao mesmo tempo faz com que a gente perceba que até no pior momento da humanidade existia bondade, solidariedade e amor de algumas pessoas que se esperava o contrário.

Além de ficar com uma vontade enorme de saber mais e mais da História do mundo, o livro me deixou louca para conhecer a ilha de Guernsey, me fez sonhar com esse lugar e colocar no meu roteiro de prioridades ao lado de Cornwall para quando eu tiver coragem de voar até a Inglaterra. Os moradores da ilha são aqueles tipos de personagens que deixam uma saudade na gente e uma tristeza enorme de pensar que talvez não sejam reais. Queria acreditar que cada um deles existe, mesmo que com outros nomes, mas com a personalidade descrita no livro. E sentira um prazer enorme se pudesse conhecê-los.

Na orelha do livro conta que a autora Mary Ann Shaffer escreveu apenas esse livro e faleceu em 2008. Uma pena que não será possível ler outra história tão fascinante quanto essa, mas é especial pensar que ela deixou para o mundo uma obra tão cheia de tudo: amor, solidariedade, esperança, força, literatura, poesia. Se cada um de nós tivesse a capacidade de deixar para o futuro algo tão bom quanto o que ela deixou, já seria uma contribuição e tanto.

Termino o livro com um aperto no peito. Todos os personagens serão inesquecíveis e um dia eu ainda vou conhecer esse lugar. Não deixem de ler A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata.

Confira aqui algumas passagens do livro que eu amei!!