15 de Fevereiro de 2017

O que fazer com todo o meu ciúme?

Esses dias uma amiga me perguntou “O que eu posso fazer com todo o meu ciúme?”. Ela estava agoniada, pois tinha brigado com o namorado por esse motivo. Na verdade, ela sempre tem alguns surtos de ciúme que chegam sem avisar, por um motivo qualquer e – muitas vezes – sem motivo nenhum.

Sempre fui uma pessoa ciumenta. Na primeira fase do meu namoro com Vinicius, quando estava descobrindo o que era um relacionamento, com 15 anos, a insegurança era uma companheira fiel. Eu vivia em estado de alerta, com medo de que Vinicius pudesse conhecer outra garota ao virar uma rua qualquer e que me deixaria a qualquer momento.

Conforme fui crescendo e amadurecendo, percebi que amores não são trocados como quem troca de roupa. Quando isso acontece, é porque não era amor. E se não era, é melhor que termine logo do que alimentar algo que não é para ser.

Depois que eu e Vinicius voltamos, nosso relacionamento passou a ser outro. O ciúme foi substituído por segurança, amor, carinho, respeito, companheirismo, conhecimento e uma vontade enorme de fazer o outro cada vez mais feliz.

Tudo começou a mudar antes mesmo de voltar a namorar Vinicius. Eu tinha um amigo que era muito mulherengo e a gente conversava muito. Ele falava abertamente sobre todo tipo de assunto comigo. E uma vez eu estava contando para ele sobre como eu tinha sido ciumenta no passado e não sabia se seria novamente se eu e Vinicius realmente voltássemos a ficar juntos.

– Fernanda, você realmente acredita que ciúme resolve alguma coisa?

Aquilo nunca mais saiu da minha cabeça. Não é o meu ciúme que vai fazer com que Vinicius nunca sinta vontade de me trair. Cobranças, cenas de raiva, brigas… Isso tudo só prejudica uma relação. A confiança é a melhor coisa para um relacionamento saudável.

Minha amiga disse que fica com raiva de imaginar que pode ser traída e por isso, cobra o tempo inteiro. E ainda disse que fica com raiva por ele não sentir ciúme nenhum.

Ciúme não muda o caráter do outro. Se ele não tiver um bom caráter, suas cobranças não vão resolver nada, talvez até mesmo o instigue a fazer realmente alguma coisa. O melhor a fazer é estar com quem você ama e junto com o seu parceiro construir uma relação saudável, de muito amor, respeito, compreensão e uma vontade enorme de ficar juntos.

O medo de perder faz com que você viva com uma pulga atrás da orelha, não permite que você seja feliz e acaba destruindo relacionamentos. Não tenha medo. Se existe amor, entregue-se. Pode acabar? Pode. Qualquer relacionamento pode ter um fim. Mas isso não quer dizer que não foi maravilhoso enquanto existiu. Aproveite todos os momentos. Eles podem ser para sempre ou não. O importante é que você viva de verdade o presente e se tiver que dar certo no futuro, vai dar. Não estrague tudo pelo medo de perder.



Veja mais posts sobreciúme ciúmes medo medo de perder relacionamento sentimento
16 de Janeiro de 2017

Ah, se todos fossem como Letícia Spiller e Marcelo Novaes

Ontem a minha cunhada me mandou o link do Arquivo Confidencial com o Marcelo Novaes no Faustão e eu fiquei ainda mais apaixonada por ele e pela Letícia Spiller. Acho lindo demais perceber como eles não deixaram que o respeito, o amor e o carinho acabassem depois de o relacionamento como homem e mulher não ter dado certo.

Letícia não gravou apenas uma mensagem “bonitinha” para o Marcelo. Ela falou com emoção, com o coração e com gratidão. Os dois disseram “Eu te amo”, mesmo na frente de milhares de pessoas. Por que se envergonhar de um sentimento tão lindo como esse? É claro que assim como vários outros fãs, também fico torcendo para que eles voltem a ficar juntos. Só que mesmo se isso não acontecer, continuo com uma admiração enorme pelos dois.

No ano passado o que mais vimos foram casamentos sendo desfeitos. Muitas pessoas encheram a boca para falar que não dava mais para acreditar no amor por causa das separações que aconteceram. Mas é só olhar para Letícia Spiller e Marcelo Novaes para entender que o amor existe, sim. E quando duas pessoas se amam – não apenas no relacionamento de casal, mas um amor de alma mesmo – é lindo de observar.

Um casamento é feito de muitas coisas: amizade, companheirismo, parceria, admiração, cumplicidade, atração, paixão, amor, dedicação, paciência e por aí vai. Muitas pessoas acreditam que quando o relacionamento acaba, significa que todo o resto foi uma mentira e que a separação aconteceu porque não existia amor. Mas é só olhar para Letícia Spiller e Marcelo Novaes para ter certeza de que não é bem assim que acontece. São vários fatores que precisam ser cuidados e se um é abalado, o amor pode não ser suficiente para segurar as pontas.

O fim não significa que todo o resto não valeu a pena. Pode ter sido bom enquanto durou. Por que não? Confesso que me emocionei quando o Marcelo Novaes disse o quanto foi difícil quando eles terminaram, como ele sofreu, pois ainda amava muito ela. É lindo perceber quando sobra sentimento e não vemos nem sombra de mágoa, ressentimento ou algo do tipo. É apaixonante ver como – independente do que aconteceu na separação – o respeito, carinho e admiração seguiram firmes e fortes. Isso poderia ser menos raro e mais comum. Isso é sinal de grandeza, de um coração mais cheio de amor, de uma alma do bem. Marcelo Novaes e Letícia Spiller, vocês são lindos! Obrigada por encherem o domingo de mais amor. O mundo precisa de mais pessoas como vocês.




Veja mais posts sobre amor casal companheirismo Leticia Spiller marcelo novaes relacionamento respeito