13 de Abril de 2017

Ah, como eu queria morar em Stars Hollow

Vira e mexe eu sinto uma saudade enorme de Stars Hollow e lá vou eu assistir pela milésima vez Gilmore Girls. Fiquei pensando o que é que me faz amar tanto essa série – já dei mil motivos aqui para isso – e descobri que além de tudo – história, personagens, enredo… – o que muito me encanta é a cidade. Desde que assisti Gilmore Girls pela primeira vez eu me apaixonei. E quanto mais assisto, mais amor eu sinto pelas pessoas e pelo lugar.

Já tem algum tempo, acho que uns três anos mais ou menos, que sinto uma vontade enorme de sair do lugar que eu moro. Sabe quando você se sente um pouco de saco cheio de tudo? A violência não para de crescer, as coisas ficaram bem mais chatas do que quando era mais nova, as pessoas ficaram estranhas, os restaurantes e bares são muito mais uma “figuração” do que aquele verdadeiro prazer de sentar para conversar com os amigos. Sei lá…

Fico pensando se é a idade que vai fazendo a cabeça mudar… Mas acho que não é só isso. Eu realmente queria morar em um lugar como Stars Hollow.

Em 2014 eu viajei com Vinicius para o Sul e me apaixonei por Florianópolis, mais ainda por Jurerê Internacional. Fomos em um período totalmente fora de época e a cidade estava vazia, ocupada apenas por quem realmente morava lá. Ficamos em uma casa no quarteirão da praia e a paz que senti naquele lugar, é quase inexplicável.

À noite não tinha quase nenhuma opção de coisas para fazer – acho que tinha uma pizzaria, um ou outro restaurante aberto e um barzinho com música ao vivo. Acabamos indo nesse barzinho e foi ali que eu falei para Vinicius o quanto amaria morar em um lugar como aquele. Todos que entravam naquele lugar pareciam se conhecer. A música era ótima, o atendimento e a comida também.

Logo que a gente acordava tinha a melhor padaria que eu já fui na minha vida bem do ladinho da casa que estávamos e lá eu tomava um chocolate bem quentinho e um croissant divino… Como não amar?

O que mais me encantou foi aquela sensação de que as pessoas se conheciam, de ter tudo que é bem gostoso por perto e de ter uma paz e tranquilidade que já não temos por aqui. Tudo isso me fez lembrar de Stars Hollow e me fez sonhar com um lugar assim.

Sem falar nos festivais que acontecem na cidade da série. É um mais legal que o outro e eu fico só sonhando com uma cidade assim. Não seria incrível?

Pena que a autora da série já disse que Stars Hollow não existe. Ela até se inspirou em uma cidadezinha nos Estados Unidos para criar aquele lugar tão especial, mas se existisse… Eu não pensaria duas vezes e já estaria de malas prontas para morar por lá. Vinicius diz que não sabe se aguentaria viver em um lugar tão calmo… Mas eu acho que depois de viver essa experiência, ele acabaria se adaptando. Acho que em lugares assim o tempo passa mais devagar, as pessoas se preocupam mais com as outras e acredito que todo mundo vive melhor. Mais alguém tem vontade de morar em um lugar como aquele?

31 de Março de 2017

Por que sentimos medo?

Vivo conversando com a minha melhor amiga Natalinha sobre medo. Por que sentimos medo? Esse também foi um dos grandes motivos para que eu procurasse uma psicóloga. Eu queria falar sobre os meus medos e também entender da onde eles surgem e por que muitas vezes viram fantasmas nas nossas cabeças.

Nas nossas conversas diárias, Natalinha e eu dividimos nossas angústias que, por muita sorte, são bem diferentes. Dessa maneira, conseguimos uma acalmar a outra, pois nossos medos não são das mesmas coisas – apenas o de avião é igual.

Fico pensando muito sobre isso. Odeio ter medo! Mas não é tão simples dar esse chega pra lá para esse sentimento tão chato, que fica nos colocando limites. É chato. É como acreditar em fantasmas quando somos crianças. Escondemos nossos rostos dentro do edredom e ficamos torcendo para que a claridade não demore a chegar, espantando todos aqueles monstros para longe.

Imagina como seria bom se um dia, mesmo que fosse em um único dia, o mundo acordasse sem o medo. Mais ou menos como a falta da morte, naquele livro do Saramago. Ou se você pudesse escolher a eliminação de um medo qualquer para sempre da sua vida. Qual seria ele? O medo de avião? De dentista? De palhaço? De médico? De perder quem você ama? De pular de asa delta? Qual medo você gostaria de deixar de sentir?

Eu acho que um pouquinho de medo não faz mal para ninguém. É o que faz com que a gente não se coloque tão em risco todos os dias. Mas muito medo acaba atrapalhando a vida. Faz a gente sofrer antes da hora e na maioria das vezes sem motivo real.

Pensar racionalmente a gente pensa. Só falta a gente descobrir como não colocar a cabeça dentro do edredom quando o fantasma do medo vier nos assombrar. E você? Qual é o seu medo?



Veja mais posts sobre medo sentimentos