29 de Maio de 2017

Diário da Gravidez – A descoberta

Depois de três meses e dois testes de gravidez negativos, minha menstruação mais uma vez estava atrasada. Não queria criar tanta expectativa. Desde que começamos a tentar engravidar – em dezembro -, meu ciclo não tinha sido mais o mesmo. Buscava relatos de outros “tentantes” na internet e lia um monte de meninas contando que era assim mesmo. A ansiedade desregulava tudo. E assim, era ainda pior, pois não dava para saber ao certo o período de fertilidade.

Então, tentei não ficar mais uma vez esperançosa. Os últimos dois testes de gravidez realmente tinham sido frustrantes e eu me questionei várias vezes se eu ou o Vi teríamos problema de fertilidade – sim, exagerada pra caramba!! Alguns casais sem problema algum ficam mais de dois anos tentando até conseguir.

Foram duas semanas fingindo não estar ansiosa. Depois de 15 dias de atraso, não aguentei mais esperar. Naquela noite, tanto eu quanto o Vi sonhamos com um neném. Eu acordei às quatro da manhã pensando se daria certo, se conseguiria engravidar e se seria uma boa mãe. Vinicius acordou pensando no bebê.

Depois de passear com a Valentina, Vinicius foi até a farmácia e comprou um teste para mim. Por intuição de que daquela vez daria certo, ele guardou a notinha do teste para ter sempre como lembrança, caso desse positivo.

Fui fazer o teste e antes mesmo de dar tempo de sair do banheiro, o meu coração quase parou. Bem ali, na minha frente, dois risquinhos fortes, fortes demais. Eu comecei a tremer e meus olhos ficaram cheios de lágrima. Vinicius estava no sofá e eu não consegui pensar no que dizer:

– Viiiiiiii!!!! Dois traços!!!! Tem dois traços!!!! – disse gritando.

Ele levantou no mesmo instante e foi correndo comigo até o banheiro para ver o resultado com os próprios olhos. Nós nos abraçamos por muitos minutos – e a Valentina ficou pulando nas nossas pernas, querendo fazer parte daquela comemoração e emoção.

Naquele instante, um mundo de sentimentos tomou conta da gente. Felicidade, medo, surpresa, ansiedade, amor… Tudo junto e misturado. Corações acelerados e duas vidas que naquele instante começavam a mudar… Para sempre!!

Veja mais posts sobredescoberta Diário da gravidez gravidez
15 de Dezembro de 2016

O cachorrinho que mora do lado de lá

Com o cair da noite, a porta da varanda começa a refletir o que está dentro de casa. Mas cachorro sabe lá o que é reflexo?  Todo dia, quando a porta está um pouco fechada e a luz acesa, Valentina corre para olhar intrigada para aquele cachorrinho que sempre vem fazer uma visita, mas nunca se aproxima.

Se está deitada, levanta correndo com a chegada daquele amigo que sempre vem no mesmo horário, mas nunca dá um oi. “Quem é você que deita do outro lado desse vidro e me encara quando eu chego mais perto?” ela parece pensar.

Em alguns dias ela só fica encarando o cachorrinho “do outro lado”.
Outros dias, quando ela está no agito da brincadeira, fica angustiada, querendo que “ele” se aproxime. Chama, mas o cachorrinho nunca responde.

Desce do sofá, sobe no sofá e lá está o cachorrinho fazendo o mesmo. Mas por que ele não chega mais perto? Porque ele não vem brincar também?

Se eu abro a porta da varanda, ela sai correndo para achar aquele amigo. “Mas que droga, como ele pode ser tão rápido assim? Já não tem mais nenhum sinal dele” volta ela triste para a sala.

Mesmo com a porta aberta, ela não esquece mais aquele amigo que nunca se aproxima e vez ou outra ela volta para a varanda na esperança de surpreendê-lo por lá.

😍

Tão pura, tão doce, tão inocente e cheia de amor. Meu coração chega a partir com as carinhas viradas sempre que ela vê o amigo que nunca chega perto. Aquele cachorrinho que só aparece quando chega a noite. O amigo do vidro que quando a porta se abre ou a luz se apaga, já não está mais ali.




Veja mais posts sobre cachorrinho cachorro conto história Valentina