15 de Fevereiro de 2017

Coração apertado – Vacina da Valentina

Segunda nós fomos levar a Valentina no veterinário para tomar as vacinas que ela precisava tomar depois de um ano. No caminho o meu coração já começou a ficar apertado. O veterinário que ela estava acostumada, não está mais atendendo no lugar de sempre e a gente foi em um novo. Ela já gostava do outro, quando chegava na esquina já corria de felicidade, mesmo que pudesse tomar um banho ou uma injeção – coisas que ela odeia!. Mas como sempre foi muito bem tratada no lugar, é um Pet que ela adora ir.

Mas como o veterinário mudou, resolvemos ir em um perto de casa mesmo, que já tinha atendido a Valentina em uma emergência e tinha sido fofo com ela. Na recepção, quando ela ficou com aquela carinha de desconfiada que só ela tem, morri de peninha. Será que ia doer?

No consultório, ela queria fugir de todas as maneiras. O veterinário achou melhor Vinicius segurar ela no colo, para o medo diminuir e eu fiquei fazendo carinho nela, para que não ficasse tão ansiosa – ô cachorrinha que é igual a “mãe”.

Aproveitamos que já estávamos lá, para conversar com o veterinário sobre castração. “Já passou da hora de castrar a Valentina”, já que recentemente decidimos não ter filhotes dela, pois Vinicius está com medo de eu não ter coragem de dar os que nascerem e querer ficar com todos. O veterinário disse que não passou da hora nada, que quanto antes é melhor, mas que não precisamos ficar desesperados por não ter feito isso ainda.

Perguntei tudo sobre a castração e apesar dele me dizer que é tudo bem simples, meu coração ficou muito apertado. Ele disse que depois de deixarmos ela lá, que ele deixa ela em uma sala, para que ela fique mais calma, sem a nossa presença e que depois começam os procedimentos para a cirurgia. Já senti vontade de chorar ao imaginar que a minha pequenininha vai ficar sozinha, sem saber o que está acontecendo e apavorada por estar longe da gente.

Todo mundo diz que é uma cirurgia tranquila e rápida. Todos falam que é melhor fazer isso logo, para evitar o câncer. Mas eu fico sofrendo de saber que ela vai operar. Depois que saímos de lá, passei o dia todo me sentindo um pouco triste, com peninha de “fazer isso com ela”.

É uma preocupação tão grande com o que ela vai sentir, com a tristeza que ela vai ficar quando a gente tiver que deixar ela sozinha no veterinário, sem que ela tenha ideia do que está acontecendo e com pessoas que ela não está acostumada. Amar demais dói! A gente quase deseja ocupar o lugar de quem a gente ama, para que eles não tenham que sentir nenhum tipo de dor. Ainda não sei quando vamos fazer a cirurgia, mas até lá vou conversar com todos que já colocaram seus cachorrinhos para castrar, para que eu possa ficar com o coração menos apertado.



Veja mais posts sobrecachorrinho cachorro castração coração apertado Valentina
17 de Janeiro de 2017

12 motivos que nos fizeram ainda mais apaixonados pela Valentina nesses 12 meses

Hoje completa um ano que a Valentina chegou aqui em casa e nesses 12 meses eu entendi o que todo mundo sempre falava sobre como é sentir o maior amor do mundo. Amor por uma coisinha deliciosa que é amiga, companheira, grudinha e que só tem amor para dar. Queria que o tempo passasse mais devagar. Cada dia ao lado da Valentina é um dia especial e os poucos dias longe dela, foram motivo de muita saudade.

Como hoje completa um ano que ela chegou, resolvi listar 12 coisas que fizeram com que a gente se apaixonasse ainda mais por ela. Uma paixão tão grande que chega a doer.

1 – Ela só quer ficar pertinho

Desde pequena, ela sempre quer ficar pertinho da gente. Se estamos vendo televisão, trabalhando ou dormindo, ela gosta de encostar a cabecinha na gente e fica grudada, igual a um carrapatinho.

2 – A hora da brincadeira

Valentina pega o brinquedinho da vez, coloca nos nossos pés e fica cutucando com a patinha até que a gente pegue e jogue para ela.

3 – Nossa companheira de bar

Ela detesta ficar sozinha em casa, mas se a gente leva ela com a gente, não importa o tempo que ficamos no bar, ela fica numa boa até a hora de ir embora. Se ela sente vontade de “ir no banheiro”, me cutuca com a patinha e olha com cara de desespero. É amor demais!

4 – Companheira de viagem

Sempre ouvi muitas pessoas falarem que quem gosta de viajar não pode ter cachorro. Essas pessoas não conhecem a Valentina. Ela AMA passear de carro, adora conhecer lugares diferentes, ama rua. Viajar com ela é sempre uma delícia. Amo olhar para trás e ver a nossa companheirinha curtindo a viagem.

5 – A cabecinha de quem entende as palavras 

Ela pode estar fazendo qualquer coisa, mas se falamos: mamãe, papai, vovó, vovô, ossinho, biscoito, bacon, franguinho, porquinho, rua ou Junior – que é o cachorrinho que mora aqui na rua e que ela adora -, ela começa a virar a cabecinha de um lado para o outro, como se estivesse entendendo direitinho sobre o que estamos falando. É apaixonante.

6 – Quem é?

Sempre que a Valentina ouve essa pergunta, ela sai correndo e cola o focinho na porta para descobrir quem é que está vindo fazer uma visita.

7 – Cheia de manias

Está para nascer um cachorro tão cheio de manias quanto a Valentina. Ela coloca os brinquedos enfileirados, assiste televisão, só come e só faz o número dois se ninguém estiver olhando. É uma graça.

8 – Reconhece a gente de longe

Se precisamos deixar ela na minha mãe quando vamos fazer alguma coisa, quando a gente volta ela se agita assim que vê a gente se aproximar. É um amor tão grande que não cabe no nosso peito e parece que também não cabe no dela.

9 – Reconhece a nossa casa, nosso carro e a casa da minha mãe

Acho tão lindo quando voltamos do passeio na rua e ela vai direto para casa. Nosso corredor tem outros três apartamentos, mas ela vai direto para o nosso. O mesmo acontece com a casa da minha mãe. É só o elevador abrir que ela já sai correndo e bate com a patinha na porta para que a minha mãe não demore a abrir. Quando abre, ela joga as orelhas para trás e é só alegria.

10 – O olhar quando ela está com medo

Valentina olha para a gente com uma certeza enorme de que nós podemos proteger ela de todo e qualquer perigo. Quando ela leva um susto ou tem medo de alguma coisa, ela chega bem pertinho da gente e faz aquele olhar de “me dá colo”, que parte nosso coração.

11 – Quando ela faz besteira…

Nada no mundo é mais fofo do que ela quando faz besteira. Nunca demos palmada, nem batemos nela. Mas quando ela faz alguma coisa errada, olha para a gente com cara de quem aprontou, coloca o rabinho pra baixo e sai correndo pela casa inteira, para depois se esconder embaixo de algum móvel. É muito engraçado e a gente não consegue ficar bravo, apenas rimos de toda aquela fofura.

12 – Ela sorri

E não estou falando apenas daquele sorriso que acontece por causa dos dentinhos tortos. Mas quando estamos dando atenção exclusiva para ela, a Valentina sorri com os olhos. É tão lindo, quando ela vira aquela barriguinha para cima e começa a fazer festa com as patinhas. É como se ela estivesse sorrindo de verdade.

Valentina é alegria, amor, carinho, manias e um mundo muito mais colorido desde que ela chegou. Sou grata ao meu marido que no início não queria tanto ter um cachorrinho em casa, mas que foi só ela chegar para que ele ficasse com o coração cheio de amor e totalmente apaixonado por ela. Ela é nossa pequenininha e eu estou muito, muito feliz por estar com ela nesses 12 meses. Espero que para ela também seja uma alegria ter a gente como família.

 



Veja mais posts sobre 12 meses cachorrinho cachorro família um ano Valentina