28 de Outubro de 2015

Como Conheci o meu Marido – Parte 2

Ainda não leu a primeira parte da história de quando conheci o meu marido?! Então, clique aqui e confira! =)

Era como se o mundo inteiro estivesse em câmera lenta. Ele deu um sorriso tímido, retribuí. Percebendo um clima diferente no ar, as meninas olharam para trás.

– Ei, meninos! – cumprimentou Clara, sem nenhum tipo de vergonha. – Animados para as aulas depois de passar a última semana viajando?

– Não mesmo – lamentou Diogo, estava cheio de sono.

Ouro Preto

Eles pararam perto da gente por pouco tempo. Clara puxou mais um ou dois assuntos e o sinal tocou.

– O gato comeu a sua língua, Fê?! Em todo esse tempo que te conheço, nunca te vi tão calada. Você está interessada em um desses meninos? – quis saber Renata quando eles já estavam longe.

– Aham. Ela está caidinha por aquele que tem o cabelo mais lisinho.

– Quero detalhes!

Comecei a contar tudo que tinha acontecido durante a viagem. Falei sobre as trocas de olhares, o céu estrelado, a nossa primeira conversa quando eu estava sozinha na rede que ficava do lado de fora da varanda do meu chalé. Lembrei de todo o charme que tentei jogar, dos assuntos e de como me esforcei para demonstrar as minhas qualidades. Perguntei se ela sabia o que era aquele frio intenso que sentia na barriga toda vez que ele me encarava sem dizer nada. E totalmente derretida, tentei imitar o jeito meio tímido dele, expliquei que era dali que vinha todo o meu encantamento.

– Mas por que não rolou nada? – perguntou Renata depois que terminei de falar.

– Não sei. Talvez ele não esteja interessado – dei de ombros.

– D-U-V-I-D-O, Fê! – disse Clara cheia de convicção. – Se ele não estivesse interessado, não teria motivo para ir todos os dias até o nosso chalé, vencer aquela timidez e muitas vezes ficar apenas ali, sem nem ter o que falar. O interesse foi mútuo.

– Será?

– Pode apostar! Quer que eu pergunte?

– Claro que não, louca! O que ele vai pensar de mim?

– Que você é uma garota que sabe o que quer – respondeu Clara e Renata ficou observando.

– Até parece! Esquece isso – pedi.

– Vamos puxar papo com eles na hora do recreio.

Dito e feito. Depois das aulas terem se arrastado por um tempo que pareceu infinito, quando voltei da cantina com o meu lanche, quase joguei tudo no chão ao ver que Clara não tinha mudado de ideia e já estava no maior papo com os meninos.

– Fê, estamos combinando de lanchar amanhã lá no shopping. Você pode, né?

– Não sei, acho que sim.

– Claro que pode. Ela também vai – Clara falou aquilo olhando para Vinicius. Será que ela não conseguia ser um pouco mais discreta?

Senti um bolo no estômago. É claro que já tinha me apaixonado antes, tido diversos amores platônicos, mas alguma coisa naquele menino despertava em mim uma sensação diferente. Aqueles olhos, desde o primeiro dia que eu vi, tinham feito com que eu quisesse ficar mais perto, descobrir mais coisas sobre ele. Era um olhar intenso, mas ao mesmo tempo terno. Eles pareciam dizer o que Vinicius não falava.

Continua aqui! =)

Beijos!!

Veja mais posts sobreamor marido relacionamentos