04 de Novembro de 2015

Como eu conheci o meu marido – Final

E chegou ao fim a história de como conheci o meu marido! Se você não tiver acompanhado, é só clicar aqui e irá encontrar todas as partes do mini conto do início do meu namoro com o Vi. <3

Fernanda e Carlos Vinicius 30-05-13-1997

Como tudo começou – Final

Nunca poderia imaginar o que aquele beijo faria com a minha vida. Mas naquele instante, o que eu sabia é que não queria mais me afastar. Estava completamente apaixonada.

Os dias passaram e a gente continuou a se encontrar. Não demorou muito para eu ouvir o pedido que soou como música nos meus ouvidos:

– Quer namorar comigo? – pediu totalmente envergonhado.

Abri um sorriso enorme, o abracei e guardei cada detalhe daquela cena. Nunca ia esquecer aquele dia, a praia quase dourada pela luz do pôr do sol, as pessoas que passavam por ali e Vinicius, com toda aquela timidez, me deixando ainda mais feliz.

E cada momento, cada gesto, palavra e cartinha foram se transformando em momentos especiais, pedaços da nossa história.

Como esquecer o primeiro “eu te amo”, a descoberta da primeira vez, as primeiras brigas, o ciúme que chegava a doer?

Construímos sonhos, amadurecemos juntos. Mas como acontece nos melhores romances do cinema, também tivemos o nosso drama. Quando entramos na faculdade, depois de cinco anos de namoro, tomamos uma decisão que poderia ter tido diferentes finais.

– O que está acontecendo com a gente? – perguntei depois de mais uma briga.

– Não podemos transformar tudo que vivemos até aqui em cobranças, desconfiança e discussões – ponderou Vinicius.

– Então, o que vamos fazer?

– Acho melhor a gente terminar enquanto nos amamos, ao invés de estragar toda a nossa história com todas essas brigas e acabar o nosso namoro sem amor nenhum.

E naquele dia, senti uma dor que nunca havia sentido antes. Chorava escondido, na hora de dormir, para ninguém saber que estava tão triste. Durante o dia, tentava seguir a vida buscando novas descobertas.

O tempo passou, conhecemos outras pessoas e ficamos alguns anos sem conversar. Vinicius namorou uma menina da faculdade dele e eu um menino da minha. Seguimos nossos caminhos sem saber o que viria pela frente.

Ah, mas um dia passamos pela mesma rua e o coração acelerou de um jeito que já não acontecia desde a nossa despedida. Minhas mãos tremeram e as dele também. E aquele nosso primeiro beijo, toda a nossa história vieram com toda força nos lembrar que desde que nos separamos, não sentimos nada tão forte quanto aquilo que vivemos na adolescência.

O que fazer?

Dúvidas, incertezas foram nossas vilãs naquele período. Depois de quase quatro anos separados, com uma bagagem de vida bem maior do que a que carregávamos quando nos conhecemos, era difícil saber se daria certo mais uma vez.

Mas eu quis tentar e Vinicius também. Arriscamos, choramos, sorrimos e fomos escrevendo novas linhas na nossa história. Começaram tortas, foram se ajeitando e em pouco tempo pareciam que nunca tinham deixado de existir.

O amor não nasceu de novo, ele apenas acordou de um sono leve. Voltou descansado, com força, com vontade de ser ainda maior do que antes. E era possível? Parece que sim.

Hoje, quando olho para Vinicius, tenho a certeza que fiz a escolha certa. Mesmo depois de todo esse tempo, de todas as histórias, ainda sinto frio na barriga quando ele chega em casa, quando acordo ao lado dele e percebo que vamos ficar assim para sempre! <3

Acho que o amor é assim. Não importa se tem um rompimento, férias, um tempo. Se ele é de verdade, se é o mais forte que você já sentiu. Ele nunca, nunca, nunca vai deixar de existir.

E como todo final feliz precisa de um casamento…

Os votos do Vi –

 

A minha declaração para ele –