25 de Janeiro de 2017

Entrevista com a psicóloga Glória Belém

Hoje eu resolvi fazer uma entrevista com a minha mãe, Glória Belém. Ela sempre foi uma inspiração, pois eu cresci vendo o amor que ela tem pelo trabalho, pelo consultório e por tudo que faz. Acredito que seja por isso que eu nunca tive medo de ir atrás das coisas que eu amo e de batalhar pelos meus sonhos.

Como toda quarta-feira eu entrevisto pessoas que amam o que fazem, que empreenderam ou que criaram projetos que mudaram a vida de alguém, pensei que não seria justo não colocar a minha mãe por aqui. Então, se você sonha com a psicologia, vem conhecer um pouco mais dessa profissão. E se você tem medo de buscar seus sonhos, não deixe de ler e de se inspirar também.

Confira a entrevista com a minha mãe e psicóloga, Glória Belém:

– Quando você descobriu que tinha vocação para ser psicóloga?  

Eu não descobri, foi consequência de um trabalho que eu já estava desenvolvendo como terapeuta holística. Fiz psicologia com o objetivo de aperfeiçoar o meu conhecimento do ser humano.

– Como foi  que você se apaixonou pela psicologia?

Quando conheci alguns professores, como Fatima Scaffo e Carlos Eduardo Leal. Eles não ensinavam. Transmitiam. Todo o ser deles falava. E era isso que eu procurava.

– E quando você passou a atender como psicóloga, se apaixonou ainda mais pela sua profissão?

Não alterou muito o que eu já realizava, até começar minha formação em psicanálise. Essa etapa sim, foi absolutamente diferente e encantadora.

– Como é trabalhar com as angústias, tristezas e alegrias das pessoas?

É entregar minha escuta a tudo isso. É poder acolher e devolver ao outro a possibilidade dele mesmo se ouvir. É absolutamente fascinante.

– Mas a responsabilidade também é grande, né?

Sim. Mas a responsabilidade do outro consigo mesmo é mais importante. E se conseguimos chegar a esse ponto… ah, aí tudo valeu a pena.

– Por que você escolheu ter o seu próprio consultório desde o início? Quando começou, não teve medo de não aparecer clientes?

Não. Acredito que quando a gente investe em si mesmo o resultado sempre será o esperado.

– E como foram aparecendo os primeiros clientes? Como eles te descobriram?

Segui com os meus como terapeuta holística e realizar um bom trabalho sempre me trouxe novas pessoas. Nada funciona melhor do que isso.

– Mesmo com o consultório lotado de pacientes, você nunca parou de estudar. Acha que isso é fundamental para quem quer ter sucesso em qualquer profissão?

Absoluta certeza disso.

– O que é mais legal na sua profissão?

O crescimento pessoal. A gente sempre aprende muito no dia a dia do consultório. Aprende a conviver com as diferenças e a dar valor a tudo que conquistou.

– E que é mais difícil?

Lidar com a impotência frente a ausência de desejo do outro. Muitas vezes o sujeito não está a fim de abandonar seus velhos padrões de sofrimento.

– Muitas pessoas quando vão escolher suas profissões, acabam abandonando um sonho para seguir uma carreira “que está dando dinheiro”. Que conselho você poderia dar para todos aqueles que sonham em ser psicólogos, mas estão com medo de não dar certo?

Veja mais posts sobreentrevista Glória Belém profissão profissões psicóloga psicologia