23 de Novembro de 2015

Eu sou a Becky Bloom dos livros, e agora?

Se tem uma coisa que eu não consigo resistir são os livros. Enquanto existem milhares de mulheres compulsivas por roupas, sapatos, bolsas, maquiagens… o meu vício são os romances e as histórias. Quem me acompanha a mais tempo sabe do amor que eu tenho por livros de cartas. Já li @mor, A Sétima Onda, Garota encontra Garoto, O Garoto da Casa ao Lado, Querida Sue e acho que todos os outros livros que vocês puderem imaginar nesse estilo. Mas como muito nem sempre é o bastante, mesmo tendo mais de cem livros em casa – muito mais que isso – que ainda não li, resolvi comprar mais dois hoje.

Vocês que já leram a séria mais fofa da Sophie Kinsella sobre a Becky Bloom, se lembram daqueles pensamentos da protagonista na hora de comprar roupas? É exatamente como eu penso quando vou comprar mais um livro. “Livros são investimentos”. “Não tem problema já ser proprietária de um milhão de livros que ainda não tive tempo de ler, esses são essenciais para ter em casa”. E dessa maneira, vou enchendo mais minha estante e torcendo para que os dias passem a ter mais de 24h.

livros

Hoje não aconteceu diferente. Entre um e-mail e outro de trabalho, estava pensando sobre o que vocês gostariam de ler por aqui. Comecei a pesquisar uma coisa ou outra na internet e de repente, não mais que de repente, encontrei um blog que falava sobre livros para ler no verão. Despretensiosamente comecei a ler e achei o seguinte título “A sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata. Achei o nome tão curioso que decidi ler a sinopse e foi então que ter esse livro se tornou a coisa mais importante do meu dia.

Na hora do meu almoço, fui até a livraria mais próxima e trouxe para casa o meu mais novo filho, que infelizmente não tinha em e-book – o que seria bem mais fácil de esconder dos olhares acusatórios do Vi que diz que nunca vou ter tempo suficiente para ler todos os livros que eu compro. Não satisfeita, ainda vi dando bobeira um livro que não vou contar qual é – pois esse estará presente aqui no blog a partir do ano que vem em um desafio muito legal que vou fazer com Vinicius – e também trouxe para casa.

Vocês me entendem? Mais alguém sofre desse mesmo mal? Como podemos resistir a um mundo tão cheio de tentações como os livros?