26 de Julho de 2017

Fome de Poder na Netflix – Quando o empreendedorismo é feio

Amo documentários e histórias inspiradoras. Quando vi que Fome de Poder estava na Netflix, fiquei curiosa para conhecer melhor a história de um dos maiores empreendimentos de sucesso – o Mc Donalds. Já tinha lido em diversos livros de empreendedorismo uma coisa ou outra sobre o fast food mais famoso do mundo, mas em nenhum lugar contava a história que eu assisti no documentário.

Ray Kroc é citado em diversos livros de empreendedorismo como um cara inteligente que percebeu imediatamente que o sistema criado pelos irmãos McDonald’s era um grande negócio, uma oportunidade de ouro. A maioria dos livros que eu já li fala de Ray como um grande empreendedor, que comprou os direitos exclusivos da marca e transformou o McDonald’s na maior rede de restaurantes do mundo.

Mas em nenhum desses livros eu li o lado feio do empreendedorismo, que foi mostrado no documentário e que me deixou irritada com Ray Kroc.

É claro que eu acho maravilhoso quando alguém percebe uma oportunidade em um lugar que ninguém mais tinha visto e transforma aquilo em um grande sucesso. Mas confesso que tenho uma visão mais romântica da coisa toda. Gosto de histórias de pessoas que conseguiram chegar lá por esforço e mérito próprio.

Não que esse não tenha sido de certa maneira o caso do Ray. Ele foi o cara que conseguiu transformar o McDonald’s em uma franquia de sucesso. Foi o responsável por expandir os negócios e é claro que merece o crédito por isso. Mas a vontade de crescer foi tanta que ele acabou passando por cima de outras pessoas para conseguir o que queria.

Será que vale tudo pelo sucesso e pelo poder?

Fome de Poder mostra exatamente esse lado feio que quase nenhum livro ou palestras de empreendedorismo conta. Como existem pessoas capazes até mesmo de destruírem o sonho e a realização de outro alguém para se dar bem na vida.

Sei lá… Acho que sucesso é muito mais do que “Fome de Poder”. Acredito que vencer na vida é você conseguir se olhar no espelho todos os dias e se sentir feliz de ver uma ideia dando certo através do seu esforço e talento. Sem que você tenha que ter derrubado outra pessoa para isso.

Veja mais posts sobredocumentário Fome de poder Netflix