09 de Setembro de 2016

Hotel Meliá Paulista – Nossa Opinião

Quando foi confirmado que o lançamento de O Livro Delas aconteceria na Bienal de São Paulo, comecei a pesquisar os hotéis. Da última vez que eu e Vi fomos para lá, ficamos em um Ibis tãooooooooo apertadinho, que dava até claustrofobia. Como ficaríamos apenas dois dias dessa vez, resolvi fazer uma pesquisa para pegar um hotel mais confortável. Foi assim que depois de olhar algumas opiniões de viajantes, resolvi reservar o Meliá Paulista.

melia-paulista-1

Como o próprio nome já diz, o hotel fica na Avenida Paulista e é MUITO bem localizado. Fomos de carro – por causa do meu pavor de avião -, foi tranquilo estacionar, pois o hotel conta com um estacionamento (achei um pouco carinho para os hóspedes, mas como fica bem coração da Av. Paulista, é até compreensível. Custa 50 reais 24h). Paramos apenas para deixar as malas, pois estávamos morrendo de fome.

De cara eu já AMEI o hotel. Adoro quando sou recebida com sorriso e simpatia nos lugares. Foi exatamente dessa maneira que fomos atendidos logo que chegamos ao Meliá Paulista. A menina da recepção foi uma fofa e além de toda a simpatia, também ofereceu um upgrade para um quarto mais alto e com vista para a Paulista por apenas 50 e pouquinho a mais. O quarto era bem maior, vinha com mais mimos – roupão e um chinelinho que poderia levar para casa -, mas preferimos conhecer o nosso quarto antes de trocar.

Bom, amamos tanto, tanto o nosso quarto que decidimos ficar por ali mesmo. Como passaríamos o dia inteiro na rua, não tinha necessidade de um espaço maior e nem com uma vista mais bonita. O nosso quarto já era de um tamanho perfeito, com um janelão que dava para ver o céu quando estávamos deitados na cama. Era silencioso, pois ficava virado para os fundos. Enfim, perfeito para o que precisávamos!

melia-paulista-quarto

O café da manhã era delicioso. São diversas opções de coisas gostosas. Muitos tipos de pães, frios diferentes, várias guloseimas para você sair de lá mais gordinho do que quando chegou. Risos! Você também poderia pedir uma tapioca, crepioca ou panqueca do sabor que quisesse, que tinha uma pessoa para fazer. Ou seja, não ficou devendo nada. Uma delícia! Difícil era sair do salão de café da manhã. Risos!

Ai, gente! E o que era chegar cansada de tanto andar – o primeiro dia na Oscar Freire e o segundo dia na Bienal – e deitar naquela cama simplesmente maravilhosa?! Amo hotéis que investem em roupas de cama de muita qualidade e no Meliá Paulista era assim. Até tentei achar na etiqueta o fabricante daquele cobertor, mas não encontrei. Só sei que tive duas noites de sono perfeitas. Acordava sem vontade de levantar – até lembrar do café da manhã!

A única crítica, que nem é tão crítica assim, é que o quarto não tem uma iluminação muito forte. Ele é um pouco escuro quando anoitece e se eu precisasse ler, por exemplo, a luz que ficava ao lado da cama não seria suficiente para deixar a vista confortável.

O quarto é com carpete e isso deixou Vinicius resmungão no primeiro momento, mas esquecemos disso no segundo seguinte. Não tinha cheiro de poeira, não incomodou em nada, pelo contrário, acho até que deixou o quarto mais aconchegante.

Na hora de ir embora, fomos mais uma vez recebidos na recepção por outra menina muito simpática e solícita. Ficamos com a impressão que o pessoal realmente gosta de trabalhar lá. Seria perfeito se todos os lugares fossem assim. Quero muito voltar com mais calma para São Paulo e me hospedar novamente no Meliá Paulista.  Indico para todos. E sabe o que é ainda melhor? Nos finais de semana as tarifas são muito mais baratas. E pagamos ainda mais barato também fazendo a reserva direto pelo site do hotel. Tinha visto naqueles sites que fazem reservas, mas pelo hotel saía muito mais em conta. Não deixem de anotar essas dicas. =)

Veja mais posts sobreBienal dica hospedagem Hotel Meliá Meliá paulista opinião paulista sampa são paulo viagem viajar