27 de Janeiro de 2018

Modelo do amor – Maternidade

“Qual modelo de criação você vai usar com a Julia?” O modelo do amor.

É isso mesmo. Quanto mais eu leio, me informo, busco informações… Mais eu acredito que não existe um modelo totalmente ideal para criar uma criança.

São técnicas para dormir, comer, montar o quarto, a casa, educar… Mas sabe o que eu acho?

Cada família é única. Cada bebê é de um jeito. E a gente não precisa escolher um modelo para seguir como se fosse um manual de instruções de criação. Caso contrário, se algo não sair “como planejado”, sobrarão frustrações e culpas.

Sempre gostei do método montessoriano e montei o quartinho da Julia baseado nessa ideia. A caminha é no chão e a maioria das coisas está na altura dos olhos e das mãos dela. Mas também optei por um armário e cômoda tradicionais. “Ah, mas eles não são montessorianos. O quarto então não é montessoriano”. Não é totalmente. E nem quero criar a Julia consultando um manual para saber se as minhas escolhas são ou não aprovadas por esse ou aquele “modelo de criação”. Quero que a base de todas as minhas escolhas seja o amor. Exatamente como fizemos com o quarto dela.

Essa árvore foi desenhada, teve as madeiras cortadas, lixadas, pintadas e coladas pelo Vi (não sempre digo que o @cviniciusgarcia é nosso herói?). Deitar no cantinho do quarto dela e me deparar com essa cena da foto me trouxe ainda mais certeza de que o amor é o mais importante em tudo. E é assim que eu quero criar a minha filha.

É claro que vou continuar buscando mais informações, mais ideias, livros… Mas não quero ser radical em nada. Quero evitar frustrações. Não estou atrás de uma criança perfeita, mas de uma criança generosa e feliz. Com muita paciência e amor, dá para conseguir esse resultado, não dá? .

Veja mais posts sobreamor criação educação maternidade