28 de Agosto de 2015

Queria Ter Ficado Mais: Montevidéu – Uruguai

E vamos dar início ao primeiro destino da série “Queria ter ficado mais”, carimbando o passaporte para o Uruguai, mais precisamente para Montevidéu (clique aqui para entender melhor sobre como vai funcionar).

Tínhamos acabado de sair da romântica “Colônia de Sacramento” com destino a Montevidéu. Confesso que não sabia o que esperar, detesto fazer pesquisas na internet antes de viajar, amo me surpreender. E a surpresa já começou na estrada perfeita, com lindas árvores e infinitas retas. Chegamos no finalzinho da tarde e depois de deixar as malas no nosso hotel – Palm Beach – resolvemos caminhar na “rambla” para ver o pôr do sol.

Por do sol em Montevidéu

E que entardecer inesquecível! Não era apenas por estar em Lua de Mel que tudo parecia ainda mais especial, mas aquele lugar me conquistou por diversas razões. As pessoas eram simpáticas, bonitas, o clima de junho era gelado, mas ao mesmo tempo delicioso. E a comida? MEU DEUS DO CÉU!!!!! Como se come bem no Uruguai! Quem pode não ser feliz tendo o melhor doce de leite do mundo a cada novo amanhecer? Pois é! A felicidade para mim é bem simples de ser conquistada.

Ah, Montevidéu! Você não imagina como eu senti uma inveja enorme das suas livrarias a cada dez passos, dos seus cafés recheados de gostosuras, das suas carnes suculentas e macias, das suas crianças que têm verdadeiras aulas de cidadania diariamente em suas ruas e da educação e simpatia de cada uruguaio que tive o prazer de trocar uma ou duas palavras.

Como nem tudo é perfeito, se pudesse trocar alguma coisa em Montevidéu, seriam os táxis. Não que a idade dos carros fosse um problema para mim – sim! a maioria dos que circulam por lá são antigos e não muito bem conservados -, mas por alguma razão – provavelmente a segurança -, eles colocam um vidro entre o banco da frente e o de trás. Além de me causar certa claustrofobia, era chato não poder conversar com o motorista e pedir explicações sobre os lugares que passávamos. Quase não tinha conversa.

Mas tudo bem! Não é um vidro que tira a graça e beleza daquele lugar. Nossas noites em Montevidéu foram recheadas de Patrícia, Zillertal e Nortenhas, com músicas que faziam o corpo balançar sozinho e não nos deixavam com vontade de ir embora. Adoramos observar suas manias, suas danças, roupas, o jeito que bebiam e conversavam.

Tanto falam dos vinhos chilenos e Argentinos, que foi uma grata surpresa para mim descobrir o seu Tannat. Se existe um lugar que eu não pensaria duas vezes se me chamassem para ficar para sempre seria a Bodega Bouza! <3. Já sinto saudades só de pensar naquele espaço delicioso, na paz daquele silêncio e na água na boca que dá ao lembrar da comida, do azeite e dos vinhos degustados ali. Queria poder voltar a cada nova estação do ano e contemplar as mudanças nas parreiras. Infelizmente, não vi nenhuma uva e nenhuma folha, mas ainda assim achei tudo lindo e aquele cenário fez parte de muitos dos meus sonhos.

bodega bouza

Apesar de não ter os estádios mais bonitos, são recheados de história e paixão. Tão parecidos nesse ponto com a gente, adorei ver as bandeiras, camisas, torcidas pela rua. Fui um pouco Peñarol naquela final e torci como se fosse o Flamengo em campo.

Foram cinco dias que ficamos naquele lugar, mas a vontade era de entrar em uma imobiliária, procurar um apartamento em Pocitos e ficar ali para sempre! Morro de saudade daquelas ruas cheias de árvores, das praças repletas de história, da simpatia uruguaia, da cultura tão presente no dia a dia de todos ali, da segurança que sentia sem medo de ser assaltada na próxima esquina, dos preços das roupas, do Chivito d-e-l-i-c-i-o-s-o, da beleza do Teatro Solis, das carnes, do doce de leite Los Netitos, dos funcionários do nosso hotel, de tudo que não conseguimos ver. Definitivamente, eu queria ter ficado mais!

Veja mais posts sobreespecial Montevidéu Queria Ter Ficado Mais Uruguai viagem