19 de Setembro de 2016

O mesmo caminho pode ser mais longo ou mais curto – Só depende de você

Enquanto andava na esteira do meu prédio – estou tentando transformar o exercício em rotina – , não parava de olhar o cronômetro passar e ficava pensando “Caramba!! Que saco! Parece que o tempo não passa!!”. No mesmo instante eu parei para pensar em como algumas vezes aquele mesmo cronômetro parecia voar. E aí, peguei o meu celular e mandei o título dessa postagem para Natalinha – ela é o meu caderninho de anotações -, para não esquecer depois.

esteira caminho

É engraçado pensar como somos responsáveis pelo nosso caminho. Somos nós que podemos decidir se ele será eternamente longo, ou curto. E aqui, podemos trocar caminho por problema, alegria, tristeza e qualquer outra coisa do tipo.

Se a gente decide levar a vida com mais alegria, pensamentos positivos, inspirações, música, conversas, risadas… Nada é pesado, chato ou longo demais.

Depois que parei para pensar na minha reclamação na esteira, troquei aquelas lamentações por um novo sentimento. Pensei no bem que estava fazendo pela minha saúde, lembrei a mim mesma que apenas eu posso mudar o meu corpo e que se não estou satisfeita com o meu atual peso, apenas o meu esforço na esteira é que vai mudar isso. Desliguei a televisão e passei a caminhar ouvindo música. Lembrei de todas as vezes que caminhei distâncias enormes, me divertindo com minhas amigas ou quantas vezes, quando era adolescente, dei mais de dez voltas na praia apenas para ver a minha paixão platônica praticar esporte por ali. Um pensamento legal foi puxando outro, e outro, e outro. Quando vi, a meia hora que pretendia andar já tinha virado quarenta minutos e eu nem percebi.

Decidi que a partir de hoje vou mudar totalmente as minhas atitudes. Sempre que eu começar a lamentar por alguma situação, problema, caminho, resposta diferente da que eu gostaria de ouvir… Ao invés de transformar tudo em uma carga pesada, vou lembrar do cronômetro da esteira de hoje, em como ele passou bem mais rápido quando eu passei a pensar em coisas boas.

Agora, enquanto escrevo isso, lembrei que aprendi essa técnica ainda criança, quando em Noviça Rebelde a Maria ensinava os filhos do Capitão Von Trapp a cantar sempre que estivessem com medo. Ela falava para eles pensarem em coisas boas, que logo o pensamento ruim ia embora.

“Se a tristeza
Se a saudade
De repente vêm
Eu lembro das coisas que eu amo e então
De novo eu me sinto bem!

Gota de chuva, bigode de gato
Laço de fita, cordão de sapato
Flor na janela e botão no capim
Coisas que eu amo e são tudo pra mim”

 É uma pena saber que quando crescemos desaprendemos todas aquelas coisas que funcionavam quando éramos crianças. São coisas tão simples que podem fazer com que a nossa vida seja muito, muito melhor.

A decisão é sempre sua. O mesmo caminho – mais longo ou mais curto? O mesmo problema – mais leve ou pesado? A mesma saudade – triste, por não ser mais, ou feliz por tudo o que foi? Eu prefiro pensar em pôr do sol, nas risadas com minhas amigas, em chocolate, nos quilinhos a menos na balança, em histórias para escrever, na Valentina, no Vi e por aí vai. É um exercício. Precisamos nos policiar para direcionar o pensamento quando ele quiser nos sabotar.

Quando escolhemos uma vida mais leve, com menos lamentações, o universo conspira a nosso favor e traz muito mais motivos para fazer a gente sorrir. =)

*Uma simples esteira pode trazer inspirações e transformações!!

Veja mais posts sobrecaminho coisas boas Esteira exercício inspiração pensamento positivo problemas reflexão solução