13 de Dezembro de 2016

Por que você ama viajar?

Antes de mais nada eu preciso dizer como a leitura é inspiradora. Ler faz com que a gente renove os pensamentos, inspira novas ideias, traz aprendizado. E como estou lendo o – De Malas Prontas -, é claro que o tema – viagem – apareceria mais que o normal por aqui. Depois de ler uma crônica sobre a minha amada Buenos Aires, fiquei pensando na seguinte pergunta: Por que as pessoas amam viajar?

Frequentemente tenho esse tipo de conversa com a minha amiga Roberta, do Blog com receitas (o blog dela é ótimo, se você não conhece, não deixe de passar por lá!!). Ela adora viajar, mas nós duas somos muitooooooooo diferentes no quesito “o que fazer durante a viagem”. Cada uma tem seu estilo e gosto. Mas uma coisa a gente concorda: a mágica que é imaginar o que cada pedacinho do destino guarda de história. Quem passou por aquele lugar, o que já aconteceu naquele cenário e por aí vai.

Pensando nisso, comecei a lamentar a minha falta de conhecimento histórico antes de visitar os lugares que já conheci. Assim como falei ontem sobre Petrópolis, o mesmo acontece em diversos outros lugares – até mesmo aqui no Rio. Já fui em pontos turísticos sem saber o que eles representam na história da minha própria cidade. Quando viajamos abastecidos de conhecimento, a história vale muito mais do que qualquer pesquisa de roteiro turístico.

Fico pensando no quanto perdi ao já ter passado tantos dias em Buenos Aires, sem saber muito da Evita, do Carlos Gardel e da própria Argentina. Com certeza, minhas viagens para a cidade portenha que eu tanto amo teriam sido ainda mais apaixonantes se eu conhecesse bem mais da cultura deles, da história. Poderia ter ido aos mesmos cafés que um dia inspiraram Gardel. Nem mesmo na casa dele – que hoje é um museu – eu fui nas minhas viagens para lá.

Acho que quando somos mais novos não ligamos tanto para isso. Ou talvez, seja algo relacionado ao perfil de viajante que cada um tem. Mas confesso que atualmente isso é uma coisa que mais vai me importar na hora de viajar. Antes de arrumar as malas para conhecer um novo destino, quero estudar um pouco sobre a história do lugar.

Tenho certeza que tanto na Argentina quanto em Petrópolis, quando eu voltar será completamente diferente. Não serão apenas lugares bonitos, legais, descolados. Serão também lugares mágicos. Destinos que vou poder ver com um olhar ainda mais rico.

Acho que é isso o que a cultura traz de bom para a gente. Um mundo mais colorido, com mais música, encanto. Como disse uma vez Martha Medeiros “Podemos viver muito bem sem cultura, mas a vida perde em encantamento”. E não é verdade?

Com certeza, buscar cada vez mais conhecimento é o que vai fazer com que a minha paixão por viajar seja cada vez maior.

Veja mais posts sobrecrônica cultura viagem viajar