21 de Julho de 2016

As primeiras ideias – Especial 10 anos Bela da Bola

Se você leu a postagem de ontem e teve certeza que eu não conseguiria a vaga de estágio depois do mico que paguei na entrevista do Lance!, errou. Dois dias depois eu recebi uma ligação da moça do RH dizendo que eles gostariam de me contratar como estagiária e me deu o prazo para levar os documentos que precisaria entregar antes de começar. Naquele momento, dois sentimentos totalmente conflitantes tomavam conta de mim. O primeiro, uma alegria enorme por ter conseguido o meu primeiro estágio. O segundo, eu não sabia se queria aquilo mesmo. Tinha muitas ideias na cabeça.

Naquela época, eu estava trabalhando com produção cultural e amava o que eu fazia. Se aceitasse o estágio no Lance! teria que abandonar todas as produções locais de peças de teatro e não sabia se era o que eu queria. Não sabia o que fazer e resolvi pedir opinião dos meus professores. A maioria disse para eu não perder a oportunidade, pois não era todo mundo que conseguia “tão facilmente” vaga em redação.

Resolvi conversar com meus pais, que tinham comemorado aquela minha conquista. Quase chorando eu abri meu coração e disse que não era a coisa que eu mais queria no mundo e que estava com medo de acabar presa em uma redação, sem chance para outras coisas que eu amava. Sempre que via meus amigos que já eram jornalistas falando sobre o trabalho que tinham nas redações, sentia calafrio. Não era nem de longe o que eu sempre sonhei para mim e tinha medo de acabar perdendo até mesmo o amor por escrever.

Neguei o estágio. Muita gente disse que eu era burra de fazer aquilo, mas nunca me arrependi nem por um segundo. Pelo contrário, sou muito grata a tudo o que aconteceu depois que eu disse o não para aquela primeira oportunidade de entrar no mercado do jornalismo esportivo.

Enquanto muitos diziam que eu tinha jogado fora a chance de trabalhar naquele meio tão concorrido e tão masculino, coloquei a cabeça para funcionar e pensar de que maneira eu ainda poderia tentar conquistar um lugar naquela área sem que tivesse que perder todo o resto que eu também amava fazer. E com com esses pensamentos, tive a ideia do blog. Por que não criar um cantinho na internet para começar a falar sobre o esporte? Por que não usar aquela ferramenta para escrever do meu jeito, sobre os jogos que eu quisesse, nos horários que eu pudesse fazer aquilo?

ideia

Foi exatamente dessa maneira que as primeiras ideias começaram a surgir. Amanhã eu conto para vocês um pouquinho mais. Mas hoje, fica essa dica para todos os meus leitores: Nem sempre as oportunidades que os outros dizem que é grande e ótima para você, vai realmente ser a sua maior chance. Se no seu coração você achar que é o que quer, vá em frente. Se não for, enfrente seus medos e corra atrás do que você realmente acredita que é para você. Nenhuma oportunidade é maior do que seus sonhos.

Veja mais posts sobreBela da Bola especial esporte futebol jornalismo esportivo