03 de Junho de 2016

Restaurante Lasai – Maravilhoso e Romântico

Três anos de casamento mereciam uma comemoração especial e foi isso mesmo que fizemos. Já tinha algum tempo que queria experimentar o restaurante Lasai, que ganhou mais uma vez a estrela Michelin. Ainda não tinha ido em nenhum restaurante estrelado e morria de curiosidade de saber se era realmente tão diferenciado dos outros. Que oportunidade melhor teríamos de ir lá? Nosso aniversário de casadinhos era o momento perfeito para isso.

Restaurante Lasai entrada

Fizemos uma reserva para às 19h30 e quando chegamos, nos levaram para conhecer o restaurante. O Lasai tem um espaço delicioso no segundo andar, que é descoberto e dá de cara para o Cristo Redentor. A vista é muito, muito linda e o garçom disse que quando é noite de lua cheia e ela chega lá em cima, que fica a paisagem mais linda do mundo. Consigo imaginar, mas com o frio que estava fazendo, preferimos ir logo para a nossa mesa.

Restaurante Lasai

Para comer, não é como os restaurantes normais. Não tem um cardápio para você decidir um prato que goste. Lá você tem duas opções: Não Me Conte Histórias, que são combinações que você pode escolher e custa R$ 245,00 por pessoa. Não sei se nesse caso, você escolhe apenas os ingredientes ou se ele também te dá a opção de escolher como quer que eles sejam feitos. Mas eu acredito que seja apenas a escolha dos ingredientes. Se você não for “fresco” – na verdade, acho que para ir ao Lasai, você tem que abrir a mente e experimentar de tudo. Daqui a pouco falo sobre isso -, escolha o mesmo que a gente, o Festival. Nessa opção, eles assumem o controle de tudo que você vai comer. Antes de começar, perguntam se você tem alergias, intolerâncias, gostos e desgostos e depois vão preparar seu menu, que no Festival custa R$ 295,00 por pessoa.

Não, não é barato. Mas o Lasai não é um restaurante normal, é uma experiência gastronômica. Você não vai encontrar comidinhas que já conhece, vai experimentar uma explosão de sabores. Quando perguntaram para a gente sobre restrição alimentar, falei sobre o meu problema com o inhame – não suporto- , mas disse que comeria mesmo assim – como disse lá em cima, você precisa ir com a mente aberta -, pois tinha lido na internet que o prato mais famoso deles, que é o único que nunca munda, é feito com inhame.

Para acompanhar as comidinhas que começariam a chegar e também para brindar o nosso aniversário de casamento, fizemos a opção da harmonização com bebidas e escolhemos apenas vinhos. Mas também existe a opção do festival de bebidas, que são escolhas deles para acompanhar cada prato – cerveja, cachaça, drinque, vinho, etc. Como sou apaixonada por vinho, acreditamos que para a gente aquela seria a melhor opção, até para conhecer novos vinhos.

Nossa! Já estou com água na boca só de lembrar.

Como vocês podem ver, não aguentei esperar a foto e dei uma mordida na empanada! Risos

Como vocês podem ver, não aguentei esperar a foto e dei uma mordida na empanada! Risos

Quando as primeiras entradinhas chegaram, olhei para Vinicius pensando: E agora? Não sou fã nem de verdura nem de legumes e enquanto a garçonete explicava cada uma das quatro entradinhas, só ouvia nomes que nunca me fizeram ter vontade de comer: quiabo, cenoura, beterraba, queijo de ovelha, folha de beterraba e por aí vai. Quando ela se afastou e eu dei a primeira mordida na empanadinha de quiabo, com cebola caramelizada e mais alguma coisa que não lembro mais o que era, relaxei. Se o quiabo estava maravilhoso, não precisava me preocupar com o resto. E não precisava mesmo. A cada nova entrada que eu colocava na boca, sentia vontade de dançar. Era um mais maravilhoso que o outro. Era uma surpresa a cada mordida. Nada tinha o gosto que eu pensava que ia encontrar. Tudo era perfeito. Sem falar na apresentação, que era deslumbrante.

Espetinho Lasai

A segunda parte das entradinhas começou de um jeito bonito, mas com a única coisa que eu não gostei – mas aqui eu falo por mim, porque é uma coisa de paladar mesmo e pode ser que você ame!! -, era uma espécie de mini churrasqueira, fofa demais, com um espetinho de alguma coisa de porco. Já não tinha curtido a aparência da carne, da gordura, sei lá, mas não deixei de provar. A cebola que vinha com ela estava maravilhosa, mas a segunda parte do espetinho eu dei para Vinicius.

Entradinhas Lasai

E aí vieram outras três entradinhas que mais uma vez me fizeram ter vontade de rodopiar por aí. Era um mais gostoso que o outro, mas todos absolutamente perfeitos. A grande surpresa dessa etapa foi o pão de queijo. É uma tortura escrever sobre ele e saber que não vou poder comer outro tão cedo. Quando olhei o pão de queijo, juro que pensei: pô, pão de queijo?! Claro que eu amo essa especialidade mineira, mas tenho no congelador da minha casa, né? Bobinha! Quando mordi aquele pão de queijo, meu Deus do céu!!!!!! Sabe quando você vai esperando uma coisa e é outra completamente diferente? Ele estava coradinho por fora, quando peguei, também parecia aquele pão de queijo que passa um pouco do tempo no forno e fica mais durinho, sabe? Mas quando você morde, o coração quase para. Risos! Ele é totalmente dos Deuses! É macio, saboroso, com um queijo de ovelha derretido e maravilhoso por dentro. Nunca comi nada igual.

Apesar de serem pratos pequenos, eu já estava ficando satisfeita com aquelas 8 entradinhas do chef. Mas ainda teria pela frente mais duas entradas, dois pratos principais e duas sobremesas. Dá para acreditar? É MUITA comida.

Ovo Lasai

O meu maior medo estava chegando: O inhame!! O prato que é o mais famoso da casa, é o “Ovo”. Ele tem o formatod e um ovo frito, a gema é gema mesmo, deliciosa, daquele jeito meio molinho. A clara é inhame com coco. Detalhe: não gosto nem do inhame, nem de coco. E por cima dele tem um sal de carne seca. Respirei fundo, criei coragem e antes de mergulhar o pão, provei o prato. Hummmmmmmmmm!!!!! Não sei o que acontece com os ingredientes ruins – para mim -, quando vão parar nas mãos de chefs de cozinha habilidosos. Parece que aquele sabor que eu conheço e odeio se transforma totalmente em algo tão bom quanto chocolate. Dito isso, não sobrou nem um pedacinho para contar história.

Peixe Lasai

Depois veio um peixinho com fava e algumas outras coisas que eu já não lembro mais o que era. Também estava bem gostoso, com vários sabores e texturas que se misturavam na boca. De prato principal, primeiro veio um peixe e depois uma carne de porco. Não lembro mais quais eram os acompanhamentos de cada prato, mas o segundo eu achei que ganhou do primeiro. A carne de porco estava macia, saborosa, deliciosa demais. O peixe eu achei mais basiquinho. Digamos que foi o prato normal da noite. Todos os outros foram surpreendentes.

Peixe Lasai Carne Lasai

E as sobremesas? MEU DEUS DO CÉU!!!! Deliciosas!!!!

Sobremesa Lasai

sobremesa Lasai

Sério, que tortura escrever esse texto, lembrar de todas aquelas comidinhas e ficar com água na boca, mas lembrar que tem uma salada me esperando para o almoço. Que tristeza!

A conta assusta, mas o restaurante é lindo, o atendimento é espetacular, todas as comidas são servidas em pratos lindos, com apresentações incríveis, sabores que dão vontade de dançar e tudo isso acompanhado de vinhos deliciosos. Realmente, é imperdível!

*Ah, quem quiser também pode pedir para reservar a mesa do balcão do chef. Não é romântica, mas você fica de frente para o chef Rafa Costa e Silva e acompanha toda a arte desse chef maravilhoso.

Veja mais posts sobrecomer bem comida cozinha gastronomia Lasai restaurante