22 de Setembro de 2015

Sobre a arte de crescer sem precisar derrubar

Em tudo que trabalhei até hoje, sempre acreditei que existe espaço para todo mundo. Desde o teatro, o jornalismo esportivo, a produção cultural, a literatura… Não gasto energia nem perco tempo pensando no que o outro faz ou deixa de fazer. Tento sempre focar naquilo que eu quero, amo e sonho em realizar.

Quando comecei, lembro que muita gente me dizia “isso é difícil, o mercado é bem fechado, existem outras pessoas que trabalham com isso há muito mais tempo”. Nada disso entrava na minha cabeça como um obstáculo real, um impedimento. Se eu acreditava, corria para realizar.

corrida

Tenho conversado bastante sobre isso na minha terapia. Minha psicóloga me perguntou se tenho dificuldade em pensar nas coisas negativas e eu respondi: Não, mas tento sempre ter um olhar meio Poliana, sabe? Costumo procurar o que de bom pode ter até a experiência ruim – como aconteceu ontem com a minha conjuntivite! =).

Conversamos bastante sobre isso e expliquei que quando alguém ou alguma coisa não são boas para mim, não insisto. Afasto. E que, não sei se estou certa ou errada, essa minha mania de mirar a lua e pensar que tudo vai dar certo, sempre me trouxe muitas realizações. Será o “segredo”? O pensamento positivo que atrai o positivo? Ou é o trabalho e a força que coloco naquilo – inspirada pela certeza de que vai dar certo – que faz com que tudo acabe bem?

Não sei. Mas em todas as experiências que tive, posso carregar uma certeza: Não precisei desvalorizar ninguém para crescer. Não precisei olhar a grama do vizinho para achar que a minha era mais verde. E em todos os momentos que me senti em uma espécie de competição, tirei meu time de campo, corri para o outro lado, talvez inspirada pela “Estratégia do Oceano Azul“. Nunca quis tubarão nenhum ao meu lado. Procuro sempre me reinventar.

Busquem dentro de vocês a força para fazer aquilo que amam sem que seja necessário viver como se estivessem em uma eterna corrida, de olho no retrovisor com medo de uma ultrapassagem e com o pé no acelerador, buscando passar a frente do primeiro colocado. Não busquem imitar o outro, só porque ele está se dando bem naquilo. Procurem dentro de vocês a inspiração. Fazer no seu tempo, do seu jeito, com prazer é a certeza de que você pode crescer sem ficar com medo de ser atropelado e sem machucar ninguém.

Veja mais posts sobrecrescer Derrubar motivacional