30 de Março de 2016

Socorro! Estou estressada

Em algum momento do dia vocês param e pensam “Cadê as horas que estavam aqui”? Ando com a sensação de que preciso ter mais do que 24 horas para que eu consiga dar conta de tudo. Hoje são 2 horas da manhã e depois de rolar de um lado para o outro da cama sem conseguir pregar o olho, resolvi otimizar o tempo e já vir programar a postagem de amanhã do blog. Mas o que escrever? Já que esse é um cantinho para falar sobre tudo o que eu gosto, vivo e penso, por que não vir falar o quanto estou estressada também?

Penso nas 24 horas do meu dia seguinte em que eu preciso me virar em esposa, filha, amiga, “mãe” da Valentina, dona de casa, jornalista, assessora de imprensa, blogueira, escritora e uma espécie de pesquisadora. Os compromissos aumentam, as oportunidades aparecem e como posso dizer não? Mas cadê o tempo? Preciso tanto dele.

Tempo

Tô estressada por causa da TPM, pelo que eu já queria ter terminado de fazer, mas que ainda não consegui, pois preciso parar e fazer outras coisas que também possuem um prazo, pela casa que não consigo deixar toda arrumada, pelos minutos do dia que passam mais rápido que nunca. São tantos projetos guardados nas gavetinhas da minha cabeça esperando uma vaguinha na agenda para virarem realidade.

O telefone toca, é minha mãe ou uma amiga e eu paro e penso “Putz, estou tão enrolada agora!”. Não deixo de atender, mas nem sempre quem está do outro lado consegue entender que não estou podendo jogar conversa fora.  Tenho que mudar o horário da análise, não posso começar os cursos que queria, não consigo ler nenhum livro, muito menos pensar em malhar.

Mas eu quero fazer tudo isso. Como resolver?

Se eu não ler, não sair, não assistir filmes, não comer fora, como vou ter conteúdo para escrever para vocês? Faço tudo isso nos finais de semana, mas em alguns deles a gente também tem vontade de ficar apenas descansando. Família e amigos pedem favores que você gostaria de ajudar, tudo parece fácil “poxa, você poderia fazer isso em poucos minutinhos” e lá nesses segundos ideias são interrompidas, textos são parados na metade e ninguém entende o quanto um minuto conta no seu dia.

Li no Facebook de uma amiga escritora – a Janaína Rico – enquanto voltava para casa esses dias, que todo mundo só conta a parte boa da vida nas redes sociais. Concordo com ela. Seria bem mais lindo vir contar para vocês sobre mais um restaurante, um vinho, uma conquista, mas por que não falar também do incômodo de estar tão estressada?

É claro que ninguém precisa saber de nada disso, é muito mais legal ler textos inspiradores, dicas de viagens e produtos, resenhas de livros. Mas a parte ruim, os dias mais estressantes, também fazem parte de tudo isso. A vida de ninguém é apenas um mar de rosas. E é normal ficar estressada pelo excesso de trabalho, pela falta dele, pelos projetos parados, por não ter dinheiro para fazer ou comprar alguma coisa, por ter dinheiro e não ter tempo de gastar, por não ter um namorado, pelas provas na escola ou na faculdade. Isso tudo é normal e desabafar é uma ótima terapia.

Não vejo a hora da TPM passar. Sem ela eu convivo melhor com a minha falta de tempo para tudo que preciso fazer. Com ela as 24 horas são um monstro prestes a me engolir. Amanhã ela vai me deixar, mas ao mesmo tempo que ela é um saco, é ótima para me fazer pensar em prioridades e no que eu quero para mim.

Agora já são quase três. O despertador em duas horas e meia vai me avisar que foi dada a largada para mais um dia na corrida para fazer o máximo que eu puder. Vou dormir, o sono já deu o ar da graça.

Veja mais posts sobredesabafo estressada estresse