16 de Março de 2017

Onde comer em Itaipava

Onde comer em Itaipava? Nessa cidade o difícil é escolher em que lugar você não irá comer. São muitos restaurantes bonitos, com opções gastronômicas de encher os olhos e de dar água na boca. Nesse post você vai conferir todos os restaurantes que conhecemos nos três dias que ficamos por lá.

Empório Gourmet Itaipava

Ambiente lindo, ótimo atendimento, comidinhas deliciosas… Ficamos encantados com tudo no Empório Gourmet Itaipava. Foi o primeiro restaurante, bem no início da nossa viagem e nós ficamos felizes de começar com o pé direito. Não tínhamos procurado nenhuma recomendação. Estávamos passando na frente e achamos o lugar tão bonito e charmoso, que resolvemos entrar para descobrir o que é que tinha ali. Adoro essas surpresas que encontramos pelo caminho. Confira aqui a nossa experiência no restaurante.

Bordeaux Vinhos & Cia

Na nossa primeira noite em Itaipava, decidimos beber um vinho. A gente estava buscando algum lugar com música ao vivo e descobrimos o Bordeaux Vinhos e Cia. Já tínhamos lido sobre ele na internet e estava na nossa lista de restaurantes para conhecer. O que eu mais gostei – além da apresentação de voz e violão, que estava ótima – foi o preço dos vinhos. Odeio quando vou em um lugar e encontro vinhos com quase o triplo do valor real. Então, sem dúvida nenhuma esse foi um ponto forte para o restaurante.

Escolhemos um Paulo Laureano Premium Vinhas Velhas, que eu já conhecia e que adoro! O preço dele estava mais em conta do que em algumas lojas de vinho na internet – que costumam ser mais baratas.

Para comer, o restaurante oferece opções no cardápio e também possui um buffet de frios que você tem diversas opções para escolher e depois pesar. Fizemos as duas escolhas – porque somos gulosos. Começamos com o buffet e adoramos as opções de queijos e também de um camarão bem temperadinho. Uma delícia.

Para jantar, escolhemos um prato individual para dividir, pois como já tínhamos comido as entradinhas, achamos que seria muita coisa se cada um escolhesse um. Pedimos um medalhão, com batata frita e arroz à piamontese. Achamos que foi super bem servido.

A carne estava macia e muito saborosa. Batata frita não tem erro, né? Sempre é gostosa! Só não curti muito o arroz. Não sei explicar, mas estava com uma textura que eu não gostei mesmo. Parecia que tinha sido feito com ricota, sei lá. Mas a carne e a batata compensaram o que não estava tão legal.

Gostamos muito do Bordeaux e é uma ótima opção para curtir a noite de Itaipava. E se vale uma dica, ficaria com o buffet e com os vinhos. É um restaurante que pretendemos voltar.

Vagão Itaipava

A gente já tinha conhecido o restaurante Vagão de Teresópolis e gostamos muito. Quando Vinicius viu que também tinha em Itaipava, resolvemos experimentar o de lá. O restaurante é muito legal, pois como o nome sugere, ele possui mesinhas dentro de um vagão.

Estávamos com muita fome, pois passamos o dia aproveitando a piscina e fomos almoçar tarde. Pedimos um filet mignon ao alho, com arroz, feijão, farofa de ovos e batata frita. Hummmmmmmm… Uma delícia!!! Eu sou completamente apaixonada por feijão e quando fico muito tempo sem comer, chego a ficar triste. Risos! Por isso, adorei essa opção no cardápio.

Foi bastante comida – não aguentamos comer tudo – e tudo estava muito bom. Para acompanhar, pedimos uma cervejinha. Eles possuem diversas opções no cardápio, cervejas de váriosssssss países. Mas como estávamos em Itaipava e ainda não tínhamos experimentado nenhum chopp Itaipava, resolvemos provar.

Recomendamos o Vagão – tanto de Teresópolis quanto o de Itaipava – para quem quiser comer bem. Para conferir o cardápio deles, é só clicar aqui.

NuCrepe Itaipava

Na nossa última noite em Itaipava a gente quis ir para a parte da cidade mais longe do nosso hotel. Lá tem muitosssss outros bares e restaurantes. Ficamos na maior dúvida do que fazer. Tinha o NuCrepe, que parecia ser um barzinho bem legal e do outro lado da rua tinha o Mathilda, um restaurante pequenininho, charmoso e que por algum motivo inexplicável me fez lembrar de Buenos Aires. Se o nome fosse Mafalda era até justificável a associação. Acho que é porque ele parece ser bem fofo como muitos barzinhos e restaurantes de Palermo Soho.

Pizza ou crepe?

Acabamos deixando o Mathilda para o nosso próximo passeio em Itaipava e fomos ao NuCrepe. O ambiente é bem descolado e grande. Depois da meia noite acontecem shows no local, mas estávamos muito cansados e não ficamos até esse horário. Pelo menos deu para curtir um pouco da passagem de som da banda, que para a nossa sorte era de rock – nós adoramos.

Confesso que sou apaixonada por crepes, mas na hora de escolher o recheio eu sempre sou estranha. Risos! Todo mundo gosta daqueles recheios com ingredientes maravilhosos e eu vou no mais simples, mas que são perfeitos para mim. Pedi o Napolitano – queijo, Tomate, Cebola e Orégano – e pedi para acrescentar milho. Minha Nossa Senhora! Sou completamente apaixonada pela combinação do milho com o queijo. Só de falar fico com água na boca – essa também é a minha pizza favorita! Risos!!!

Já o de Vinicius era com lombinho, Gorgonzola, rúcula, requeijão e ainda acompanhava batata. Também estava delicioso, mas é claro que não barrava o meu no sabor – sei que todos vão pensar como Vinicius e discordar de mim. Mas gosto não se discute e queijo com milho é a minha combinação perfeita.

Para fechar com chave de ouro, escolhemos um crepe doce de banana com chocolate e sorvete. Hummmmmmmmmmmm… Bom demais!

Como vocês podem perceber, tivemos muita sorte nessa nossa viagem. Todos os restaurantes que conhecemos em Itaipava foram maravilhosos e pretendemos voltar em todos eles. Não esqueçam de anotar essas dicas. Depois venham me contar o que acharam. Nós amamos!!

Viajar e comer bem são coisas maravilhosas nessa vida, não é mesmo?



06 de Março de 2017

Nonna Cantina e pizzaria em Rio das Ostras

Minha sogra tem casa em Rio das Ostras desde que eu conheci Vinicius – ou seja, há quase vinte anos. Em todo esse tempo, vimos muitos restaurantes abrirem e fecharem. Experimentamos muitas delícias e outras nem tanto. Totalmente por acaso durante esse carnaval, fomos parar na Nonna Cantina e Pizzaria, que fica na rua principal da Costa Azul, a Roberto Silveira.

Estávamos em casa, meus pais tinham saído para caminhar e quando eu perguntei para Vinicius se a gente ficaria por lá mesmo ou se faríamos alguma coisa, minha mãe me ligou. Ela disse que depois da caminhada, resolveu achar uma pizzaria, pois o meu pai estava com vontade de comer pizza. Como a Nonna ficava na rua principal, mesmo sem referência nenhuma, decidiram comer lá e ela queria saber se eu queria que eles levassem alguma coisa para a gente.

Decidimos ir até a pizzaria. Quando chegamos lá, encontramos um restaurante bem fofo, com cara de cantina italiana mesmo. Hummmm… Eu que adoro pizza, já comecei a ficar animada. Meus pais já estavam acabando de comer e elogiaram bastante. É claro que nem pensamos duas vezes e já sentamos para experimentar.

O garçom que nos atendeu era de uma simpatia que não é tão fácil de encontrar. Ele chegava a ficar com água na boca ao falar sobre tudo o que ele achava gostoso no Nonna. Acho tão legal quando um funcionário gosta dos produtos do lugar que trabalha, dá ainda mais vontade de experimentar. Ele – infelizmente, não lembro o nome dele, mas acho que era Felipe – disse que a massa era feita no próprio restaurante e que o manjericão também vinha direto da hortinha deles.

Pedimos dois sabores: metade calabresa com cebola e a outra era a Nonna – também de calabresa, mas levava outras coisas, como palmito. Pedimos o tamanho médio – que era o maior do cardápio – e deu para dividir perfeitamente entre três pessoas – Vi, o pai dele e eu.

A pizza é realmente uma delícia. A massa é bem levinha e parece até feita no forno à lenha, mas o garçom explicou que é feita de um jeito diferente, colocando por poucos minutos, em alta temperatura, para que fique daquele jeito. Perfeita!!

Confesso que fiquei com a maior vontade do mundo de experimentar as sobremesas. Mais uma vez o garçom teve “culpa” sobre isso. O jeito que ele descrevia os doces, dava vontade de comer o cardápio inteiro. Risos! Infelizmente, ninguém quis dividir comigo. Mas é certo que voltarei ao Nonna para provar as sobremesas italianas.

Gostamos tanto da descoberta da minha mãe, que no dia seguinte acabamos pedindo em casa e os mesmos sabores que comemos no restaurante. A pizza chegou bem rápido e tão gostosa quanto estava no restaurante. Espero que o Nonna tenha vida longa em Rio das Ostras, pois vai ser parada obrigatória sempre que a gente for visitar minha sogra.

*Como eu não imaginava que seria tão deliciosa, acabei não fotografando. Peguei essas fotos na internet de outras pessoas que comeram no Nonna. Só depois de me deliciar é que pensei que seria uma boa dica para contar aqui no blog para quem for passear por Rio das Ostras.



Veja mais posts sobre comer bem Dicas massa nonna pizzaria pizza restaurante restaurantes Rio das ostras viagem viajar