02 de Julho de 2016

Um dia você vai se arrepender

Tenho certeza que um dia você vai olhar para trás e pensar “será que eu fiz a coisa certa quando decidi partir?”. No momento que pensar isso, vai perceber que já é tarde demais. Da mesma maneira que me entreguei de corpo e alma a tudo aquilo que estávamos vivendo, também me entreguei para a dor da sua partida. Vivi cada uma das duas coisas da maneira mais intensa possível. Não, não pense que estou desejando algo de ruim para você, mas tenho certeza que um dia você vai se arrepender.

Um dia você vai se arrepender

Um dia você vai olhar para trás e vai lembrar que conheceu uma garota que te olhava nos olhos como se você fosse único, como se nenhuma outra pessoa tivesse existido antes de você e como se nem fosse possível existir outra depois. Vai lembrar de como eu ficava feliz com a sua presença, com qualquer mensagem que enviasse para mim a qualquer hora do dia, por mais boba que ela fosse.

Um dia você vai olhar para trás e vai lembrar de todas as vezes que eu fiquei triste, chorei e pedi para você ficar. Vai lembrar de como me sentia sozinha e de como você me fazia bem, quando não tinha mais ninguém ao meu lado. Vai lembrar de todas as vezes que me abraçou e disse o quanto eu também fazia bem para você, mas que mesmo assim você não queria se envolver demais, pois sabia que teria que ir embora e não queria se machucar.

Um dia você vai olhar para trás e vai lembrar das nossas conversas, da nossa lista de música, das cartas que escrevi com todo o meu coração e que recebi em resposta um olhar emocionado, mas nenhuma palavra que alimentasse todo aquele meu sentimento. Sabia pelo seu olhar que por mais que você dissesse que não queria sentir, que você sentia. Mesmo assim, durante todo aquele ano você não se entregou completamente como eu me entreguei.

Um dia você vai olhar para trás e vai pensar o que eu sempre pensei quando você ainda estava aqui. Vai pensar em tudo aquilo que não fizemos simplesmente porque não tivemos tempo. Em tudo o que poderia ter sido se você não tivesse ido embora. Em tudo aquilo que ficou por dizer.

E é exatamente nesse momento que você vai se arrepender. Vai olhar sua almofada, que provavelmente já não vai mais estar em cima da sua cama, mas em algum armário, amassada e escondida de suas namoradas que vieram depois de mim e vai sentir uma saudade que não vai caber no seu peito. Vai pensar em mim e, quem sabe, vai até me mandar uma mensagem, puxando um assunto qualquer, apenas para ver como eu vou responder. De repente, vai me dizer que tudo o que vivemos merece pelo menos uma amizade, pois foi especial demais e algo que você nunca viveu igual depois.

Mas quando esse momento chegar, já não vou ser mais a mesma garota que você conheceu. Depois que você foi embora, vivi a tristeza da sua partida exatamente como vivi a felicidade de ter você comigo. Foram meses sem vontade de comer, de sair e de conhecer outras pessoas. Foram meses acordando de madrugada para chorar, ouvindo meus amigos dizer que eu precisava sair daquela tristeza e viver. Foram meses até eu conseguir deixar você ir embora de vez dos meus pensamentos e entender que aquilo foi apenas uma história. E aos poucos eu fui conseguindo, fui melhorando e escrevendo novas páginas da minha vida. Você ficou lá atrás. Já não é mais nada além de uma lembrança. Já não dá mais frio na barriga, já nem mesmo me encanta com o seu olhar, sua voz ou seu sorriso.

Já e tarde demais.

Um dia você vai se arrepender.

*Essa é uma carta inspirada em uma história real de alguém que conheço, mas é para todos aqueles que sofreram quando alguém decidiu ir embora.

15 de Fevereiro de 2016

Como curar um coração partido

Respondendo ao meu livro interativo de uma pergunta por dia, me deparei com o seguinte questionamento – Como curar um coração partido? Achei legal trazer essa mesma ideia aqui para o blog, pois diariamente milhares de pessoas sofrem com despedidas, com o término de relações e rejeições. Como vocês lidam com esse sentimento tão triste?

Lembro que quando era adolescente tudo era intenso e grande demais. As paixões eram avassaladoras e eu podia jurar que nunca mais amaria outra pessoa da mesma maneira.  Foi também naquela idade que eu aprendi que todo coração partido pode se recuperar, sim. A nossa felicidade não pode estar nas mãos do outro e sempre que uma despedida acontecer ou que um amor não for correspondido, devemos seguir em frente.

Coração partido

É claro que dói. Tanto a rejeição quanto o fim de um relacionamento deixam um aperto no peito que parece insuportável. Mas passa. Sempre passa. Nenhum amor do mundo pode ser maior do que o que você tem por você e pela vida.

Para curar o coração partido reserve o tempo que precisar para sofrer por aquele amor. Acredito que essa é a parte mais importante da recuperação. Se você não fizer isso, se simplesmente fingir que está tudo bem e bloquear a mente daquele pensamento, um dia ele vai voltar com ainda mais força. Não adianta ficar com medo de pensar no amor que já não existe mais. Pense nele e pense muito. Escute músicas, chore o quanto precisar, se despeça do sentimento que esteve com você durante o tempo que estiveram juntos ou durante o tempo que durou o seu amor não correspondido com a sua paixão platônica.

Se achar que não suporta olhar as coisas – cartas, roupas o que quer que seja – da pessoa, deixe com uma amiga, com sua mãe ou dentro de uma caixa fechada com um milhão de durex. Por maior que seja a raiva ou a decepção, ainda assim reflita antes de jogar tudo fora. Lembre-se que essa história foi parte da sua trajetória, de quem você é. O fim de um relacionamento não significa que todo o tempo que ele durou não valeu a pena. Recordações sempre são pedacinhos do seu passado, uma maneira de viajar pelo tempo enquanto não inventam uma máquina de verdade. As palavras escritas, o perfume daquela pessoa nunca mais vão ser iguais. Por mais tristeza ou raiva do momento, pense em quantas coisas boas também aconteceram, você vai querer apagar tudo isso?

Não sofra para sempre e nem carregue um peso de meia tonelada de ressentimento com você. Muitas pessoas que sofrem com um fim de relacionamento tendem a achar que todos os outros são iguais. Não deixe que essa experiência te transforme em uma pessoa amarga ou alguém que faz comparações desagradáveis. Cada amor é de um jeito, não existe melhor ou pior, apenas pessoas que vão se encaixar mais ao seu estilo e outras que serão completamente diferente. Os dois casos podem trazer ótimos relacionamentos.

Depois do período de “luto” fique leve e seja feliz. Não faça nada pensando em se vingar do outro. Fique mais bonita por VOCÊ, se divirta por VOCÊ e não para que outra pessoa veja como você está mais linda ou mais feliz sem ela. Se arrume diferente, mude o corte de cabelo, abra o coração para novas possibilidades e aproveite todos os novos frios na barriga que estão por vir.

Não se tranque com medo de levar mais um fora, não comece a pensar que nada dá certo na sua vida e aproveite cada relacionamento – o de um dia ou o de uma vida – da maneira que ele acontecer. Aprenda com os erros, mas não se transforme em alguém “cascudo”. Se o amor acabar, não insista nem faça nada para que o outro sinta pena de você. Pense que foi bom enquanto durou e que é melhor ficar livre para conhecer alguém que vai amar de verdade e de maneira recíproca, do que ficar com alguém que já não quer mais estar com você.

Um dia o “para sempre” acontece. Pode ser que você encontre ele aos 16 – obrigada, Papai do Céu! – como também pode encontrar aos 30, 50, 75. Até lá, morra de amores, mas depois continue vivendo.

Veja mais posts sobre amor coração partido namoro paixão relacionamentos