06 de Março de 2017

Nonna Cantina e pizzaria em Rio das Ostras

Minha sogra tem casa em Rio das Ostras desde que eu conheci Vinicius – ou seja, há quase vinte anos. Em todo esse tempo, vimos muitos restaurantes abrirem e fecharem. Experimentamos muitas delícias e outras nem tanto. Totalmente por acaso durante esse carnaval, fomos parar na Nonna Cantina e Pizzaria, que fica na rua principal da Costa Azul, a Roberto Silveira.

Estávamos em casa, meus pais tinham saído para caminhar e quando eu perguntei para Vinicius se a gente ficaria por lá mesmo ou se faríamos alguma coisa, minha mãe me ligou. Ela disse que depois da caminhada, resolveu achar uma pizzaria, pois o meu pai estava com vontade de comer pizza. Como a Nonna ficava na rua principal, mesmo sem referência nenhuma, decidiram comer lá e ela queria saber se eu queria que eles levassem alguma coisa para a gente.

Decidimos ir até a pizzaria. Quando chegamos lá, encontramos um restaurante bem fofo, com cara de cantina italiana mesmo. Hummmm… Eu que adoro pizza, já comecei a ficar animada. Meus pais já estavam acabando de comer e elogiaram bastante. É claro que nem pensamos duas vezes e já sentamos para experimentar.

O garçom que nos atendeu era de uma simpatia que não é tão fácil de encontrar. Ele chegava a ficar com água na boca ao falar sobre tudo o que ele achava gostoso no Nonna. Acho tão legal quando um funcionário gosta dos produtos do lugar que trabalha, dá ainda mais vontade de experimentar. Ele – infelizmente, não lembro o nome dele, mas acho que era Felipe – disse que a massa era feita no próprio restaurante e que o manjericão também vinha direto da hortinha deles.

Pedimos dois sabores: metade calabresa com cebola e a outra era a Nonna – também de calabresa, mas levava outras coisas, como palmito. Pedimos o tamanho médio – que era o maior do cardápio – e deu para dividir perfeitamente entre três pessoas – Vi, o pai dele e eu.

A pizza é realmente uma delícia. A massa é bem levinha e parece até feita no forno à lenha, mas o garçom explicou que é feita de um jeito diferente, colocando por poucos minutos, em alta temperatura, para que fique daquele jeito. Perfeita!!

Confesso que fiquei com a maior vontade do mundo de experimentar as sobremesas. Mais uma vez o garçom teve “culpa” sobre isso. O jeito que ele descrevia os doces, dava vontade de comer o cardápio inteiro. Risos! Infelizmente, ninguém quis dividir comigo. Mas é certo que voltarei ao Nonna para provar as sobremesas italianas.

Gostamos tanto da descoberta da minha mãe, que no dia seguinte acabamos pedindo em casa e os mesmos sabores que comemos no restaurante. A pizza chegou bem rápido e tão gostosa quanto estava no restaurante. Espero que o Nonna tenha vida longa em Rio das Ostras, pois vai ser parada obrigatória sempre que a gente for visitar minha sogra.

*Como eu não imaginava que seria tão deliciosa, acabei não fotografando. Peguei essas fotos na internet de outras pessoas que comeram no Nonna. Só depois de me deliciar é que pensei que seria uma boa dica para contar aqui no blog para quem for passear por Rio das Ostras.



Veja mais posts sobrecomer bem Dicas massa nonna pizzaria pizza restaurante restaurantes Rio das ostras viagem viajar
21 de Outubro de 2015

Como escrever um livro?

Vocês não imaginam a quantidades de vezes que ouvi essa pergunta: Como escrever um livro? E não apenas essa, nas escolas também sempre querem saber com que idade alguém pode “virar escritor”. Já li diversas dicas na internet sobre esse assunto. Algumas pessoas publicam verdadeiros manuais sobre a arte de escrever. Sinceramente, acho que não existe uma regra para escrever um livro. Cada autor começou de um jeito, cada escritor tem a sua história sobre o início da carreira e você também vai construir a sua. Mas resolvi juntas dez dicas simples que podem te ajudar a colocar a ideia no papel.

escrever um livro

1 – Escreva

Parece até piada, mas é verdade. Muitas pessoas vivem sonhando em publicar um livro, mas não começam a escrever. Buscam um milhão de informações na internet, conversam com outros escritores e chegam até mesmo a enviar e-mails para editoras antes de começar. Não façam isso. Esqueçam o que vem depois. Apenas escrevam a história.

2 – Releia mil vezes, mas apenas quando colocar o último ponto final

Se você cair na besteira de começar a reler o livro antes de ter terminado, não vai acabar nunca. É sério! Não se preocupe com revisões durante o processo da escrita. Isso prejudica a criatividade, não deixa que a gente siga em frente na história. Principalmente para os perfeccionistas, sempre vai parecer que existem coisas para mudar antes de avançar para o capítulo seguinte. Deixe para fazer isso quando tiver concluído. Você vai mexer mais um milhão de vezes na história, mas ela já vai ter início, meio e fim.

3 – Leia muito, mesmo quando estiver escrevendo

Já vi muitos autores dizendo que estão há um tempão sem ler, pois estão escrevendo suas próprias histórias – não disse que não existe um manual? Cada escritor tem as suas manias. Para mim não é assim que funciona. Gosto muito de ler enquanto estou escrevendo e também assisto muitos filmes. Acho que tanto os livros quanto o cinema me inspiram durante o processo criativo. Também acho importante perceber o que funciona e o que não funciona na história que estou lendo. É um ótimo aprendizado para melhorar ainda mais o meu texto.

4 – Não peça opiniões enquanto está desenvolvendo a história

Esse é um problema que pode bloquear a sua criatividade. Se você ainda não terminou de escrever, não peça opiniões. Por mais que seja para um melhor amigo, um familiar bem próximo ou o seu amor, cada pessoa tem uma maneira de pensar e uma opinião no meio do processo da escrita pode te deixar inseguro e sem saber como continuar. O melhor a fazer é o mesmo da dica número 2, deixe para fazer isso apenas quando colocar o último ponto final. depois de ouvir opiniões, pense se vale à pena mudar ou não a sua ideia e como vai fazer isso.

5 – Não tenha pressa

Com certeza vocês já ouviram aquele ditado que diz que a pressa é inimiga da perfeição, não é? Vejo muitos autores correndo com suas histórias para que tenham livros publicados a todo momento. Também vejo pessoas que ainda nem começaram a escrever, mas que já estipulam prazos para finalizar a obra. Não façam isso! Escrevam com calma, no tempo de vocês. Pensem em um livro que gostariam de ler e escrevam com todo o carinho do mundo. Se você corre, o leitor vai sentir isso quando ler a sua história.

6 – Não pare no meio

Tente se programar para escrever em um período que você saiba que vai poder dedicar algumas horas do seu dia para isso. Ficar muito tempo sem olhar a história e ter que voltar a escrever, não é legal. Você perde o envolvimento que já tinha criado com os personagens e também o ritmo da história. Mesmo que seja apenas uma hora por dia, dedique totalmente esse tempo aos seus personagens e aos dramas que eles estão vivendo.

7 – Não escreva sem inspiração

 Sim, eu disse que você não deve parar a história no meio e que deve pensar nela pelo menos um pouquinho todos os dias, mas nem sempre você vai conseguir escrever diariamente. Isso não é um problema. Quando o bloqueio criativo te atingir em cheio, procure pensar nas músicas que seus personagens gostariam de ouvir, nos filmes que eles gostariam de ver e se enriqueça de pedacinhos deles. Só não pare de pensar na história e quando a inspiração voltar ou o seu bloqueio der a trégua, você volta a escrever.

8 – Se apaixone pela sua história

Não escreva algo da moda se não for a sua paixão. O ponto alto já foi de bruxinho, vampiros a sadomasoquistas. Todos os sucessos aconteceram pois seus autores entendiam e amavam aquele tema. Não queira navegar na mesma maré só porque os leitores estão eufóricos com um Harry, Edward ou Grey. Se você escrever com a sua verdade, sobre personagens que já fazem parte da sua vida e da sua imaginação, vai encantar muito mais.

9 – Escute opiniões

Quando o livro estiver pronto, entregue para que outras pessoas possam ler e não espere apenas elogios. É muito bom quando os seus primeiros leitores – aqueles que leem o livro antes mesmo de você enviar para a editora – fazem comentários verdadeiros. A opinião dessas pessoas é essencial para que você possa arrumar alguma cena que talvez tenha ficado um pouco confusa, para fazer uma mudança aqui ou ali e melhorar ainda mais a sua história.

10 – Escreva por amor e não pela fama

É claro que todo editor quer que você seja a nova “Kéfera” – ela está vendendo livro igual água!!! -, mas não vá para a literatura apenas como uma porta para se transformar em alguém conhecido. É claro que ganhar o carinho de pessoas desconhecidas, elogios sobre o seu trabalho é sempre muito gostoso. Mas não deixe que apenas esse desejo guie a sua carreira. Tenha preocupação com o que está deixando no mundo. É o que vai ficar de você quando já não estiver mais aqui. Escreva com coração, alma e suas verdades. <3

Veja mais posts sobre Dicas escrever livro livros