21 de Fevereiro de 2017

Manchester à Beira Mar – Preciso ir ao cinema sem expectativa

Na semana passada fui assistir La La Land e não fiquei TÃO encantada quanto pensei que ficaria depois de ouvir tantas e tantas pessoas falando sobre ele. Essa semana, resolvemos mais uma vez aproveitar a maravilhosa promoção do Cine Arte UFF, que faz o “meia para todos” na segunda, com ingressos custando apenas quatro reais, para assistir Manchester à Beira Mar. Depois que o filme acabou, concluí uma coisa: Não posso mais ir ao cinema com tanta expectativa.

Já estávamos querendo ver esse filme, mas não tinha visto ninguém que conheço falando sobre ele. Achei ótimo! Mas no final de semana, minha mãe acabou mudando isso. Ela me ligou para falar sobre o filme maravilhoso e triste que tinha feito ela chorar até não poder mais. Já tinha combinado de ir com o Vi assistir Manchester  à Beira Mar, mas tentei não esperar demais do filme, mesmo com todo o relato emocionado da minha mãe.

Mas não tem jeito, né? Criar expectativa é fogo!

Lá fomos nós assistir o filme. Demorei a me sentir presa na história. Pelo menos para mim, não foi aquele tipo que te prende já nos primeiros minutos. Depois, eu fui até me apegando aos personagens, mas como a expectativa estava alta demais, não foi tudo o que eu esperava.

Sinceramente, não gosto muito de histórias tristes. Como já disse Bibi Ferreira “De tristezas já bastam as da vida” e como atualmente é com o lado feio do mundo que mais nos deparamos todos os dias, não é o tipo de coisa que mais me enche os olhos nos livros e nas telas do cinema.Apesar de todo o drama, tem umas cenas que arrancam risadas do público e que são até mesmo fofas.

Acho que não era o tipo de filme que eu estava querendo assistir. E talvez a expectativa alta demais não tenha colaborado para que eu pudesse amar Manchester à Beira Mar. E vocês? O que acharam do filme?



Veja mais posts sobrecinema drama filme Manchester à beira mar