22 de Março de 2017

Como ser feliz?

Quem nunca se perguntou “Como ser feliz?” Acho que esse é um tema que está cada vez mais presente aqui no blog e nas minhas redes sociais. O motivo? Tento agradecer diariamente e reconhecer todos os momentos de felicidade que tive ao longo do dia.

Percebi que se não faço esse exercício diário, acabo não percebendo como pequenas maravilhas acontecem diariamente. Vivemos buscando a felicidade nas conquistas mais distantes, no que ainda pode ser e nunca no que já é.

Mas depois de observar e praticar essa gratidão diária, resolvi compartilhar com vocês o “segredo” de como ser feliz. =) Quer descobrir? É tão simples.

Como ser feliz?

Leia bons livros. Agradeça mais e comece a pedir menos. Diariamente faça uma lista de pelo menos cinco coisas que deixaram o seu dia mais alegre e agradeça por isso. Escreva para um amigo que você não fala há algum tempo. Esqueça a dieta e tome uma bola do seu sorvete favorito e não esqueça a calda!!

Caminhe na praia. Assista a pelo menos um pôr-do-sol por semana. Não esqueça de olhar todas as noites para o céu – antes de dormir, quando tudo está mais escuro, ele fica ainda mais estrelado. Beba suco de laranja. Coma mais frutas. Compre um caderninho e escreva nele todas as suas aflições, medos, frustrações. Depois volte a ler e pense em como você pode mudar e tornar melhor tudo o que te incomoda ou que tenha feito mal.

Respire fundo. Escute músicas que façam sua alma querer dançar. Coma um pedacinho de chocolate. Vez ou outra, tome uma taça de um bom vinho. Se afaste de quem não te faz tão bem e procure ficar mais perto de todos aqueles que te façam rir.

Descubra coisas que você gosta de fazer com seus melhores amigos e também com o seu amor e faça todas essas coisas. Viaje pelo menos uma vez ao ano. Não dê tanta energia para problemas do trabalho. Lembre-se que sua vida é muito mais importante do que qualquer estresse da empresa. Um dia o trabalho acaba, mas a sua vida continuará. Dê mais valor ao que realmente importa.

Assista séries de TV bobas, mas que te deixam tão feliz quanto se estivesse comendo chocolate. Escreva para pelo menos para uma pessoa que você admira muito – cantor, ator, escritor e por aí vai – e diga o quanto o trabalho dessa pessoa mexe com você e te faz feliz. Por mais que você nunca tenha uma resposta, é muito legal a gente dizer para os outros o quanto os admiramos. E quem sabe uma resposta inesperada não apareça no seu e-mail ou na mensagem do Facebook?

Não faça nada esperando algo do outro. Faça sempre porque você acha que deve, por ser legal ou por querer que o outro se sinta mais feliz e bem. Mas não faça esperando recompensas ou elogios.

Não entre em discussões. Não fale sobre temas polêmicos nas redes sociais. Evite criticar os outros. Distribuir elogios deixa a gente muito mais feliz do que espalhar espinhos. Brinque com um cachorro, segure um neném no colo.

Reveja fotos do passado, cartas e agendas. O que tiver de lembranças guardadas, não esqueça de olhar para elas. Pensem no que cada uma daquelas pessoas e experiências contribuíram para que você se tornasse quem é hoje. Tente fazer mais coisas boas pelas pessoas. Fazer o bem faz tão bem!

Enfim… Poderia ficar aqui o dia inteiro listando pequenas coisas que podem transformar o seu dia em um dia muito melhor. Mas o ideal é você perceber que não precisa de muito e que se souber agradecer cada pequena coisa que recebe diariamente, seguirá cada vez mais feliz.

Como ser feliz? Sorria, viva e agradeça. Sempre! Essa receita é quase clichê, mas realmente dá certo.



Veja mais posts sobrecomo ser feliz felicidade feliz receita
14 de Fevereiro de 2017

Li um livro e fiquei com vontade de morar na Dinamarca

Que livro! Sabe quando você começa a ler um livro como uma pessoa e sai dele completamente diferente? Depois de ler O Segredo da Dinamarca eu saí do livro com uma bagagem cultural ainda maior, com aprendizados que só teria se tivesse a oportunidade de morar alguns meses no país, com a possibilidade de fazer comparações que não teria como fazer antes e de pensar no que poderia melhorar por aqui.

O Segredo da Dinamarca me fez pensar e repensar sobre felicidade. Como muitas vezes depositamos no outro algo que é uma responsabilidade nossa. É claro que outras pessoas podem nos proporcionar momentos e pequenos instantes mais felizes, mas isso não pode ser fundamental para que alcancemos diariamente momentos de felicidade. Ela tem que partir da gente, sempre.

Aprendi tantas, tantas coisas…

Saí do livro com uma vontade gigantesca de viver uma experiência naquele país gelado, frio, mas com uma igualdade social que deveria servir de exemplo para o mundo inteiro. Um dos impostos mais altos do mundo, mas com o Estado realmente tomando conta de toda a sua população. Na Dinamarca, toda profissão é valorizada e você pode realmente escolher fazer o que ama, sem que tenha toda aquela pressão de escolha por melhores salários nas profissões que você nunca sonhou em fazer.

É um país que valoriza e trabalha para que todos tenham as mesmas oportunidades. Ensina as crianças a questionarem, pensarem por conta própria, serem mais justas e gentis. Na Dinamarca ninguém tranca as crianças em redomas de proteção. É importante que eles caiam, levantem, aprendam o motivo de terem caído.

A Dinamarca é o país mais feliz do mundo, mas não quer dizer que seja o país das pessoas mais simpáticas. Longe disso. Mas eles não associam simpatia a felicidade. Quando eles sorriem para você desejando um bom dia, não é apenas uma gentileza dita da boca para fora, é realmente o desejo de que o seu dia seja incrível. Por isso, não ficam sorrindo e dizendo isso o tempo todo.

os pais tiram várias semanas de licença paternidade e são tão responsáveis pela criação dos filhos quanto as mães. As horas de trabalho são menores do que na maioria dos países, eles valorizam a produtividade e não o tempo que se passa trabalhando.

E como gostam de beber! Passei o livro inteiro com uma vontade enorme de degustar uma Carlsberg. Também fiquei louca para conhecer Copenhague e todos os restaurantes estrelados, com comidas nórdicas.

Terminei o livro com uma vontade louca de pesquisar preços de passagem agora mesmo e de arrumar a mala para conhecer o país mais feliz do mundo. Que experiência maravilhosa a autora Helen Russell teve a oportunidade de viver. Uma casa, no meio do nada, de frente para o mar. Já tem uns dois anos que tenho um sonho parecido. Uma vontade enorme de sair do meio de tanta coisa e ir morar em um lugar calmo, de frente para o mar, com menos desespero para querer sempre mais.

Antes de ler O Segredo da Dinamarca, esse era um país que nem passava no meu radar. Não era um destino que tinha curiosidade de conhecer. Mas hoje, acho que encaro o meu pavor de avião para visitar, nem que seja por apenas duas semanas.  

Recomendo esse livro para todos os brasileiros. No momento que vivemos, com tanta gente cheia de certezas, com tanta briga sobre esquerda e direita e tantos achismos políticos, é uma excelente leitura para sair um pouco da caixinha e poder conhecer um pouco mais do que deu certo em outros países. Como a Dinamarca conseguiu ser o país mais feliz do mundo? Também recomendo para todos que queiram pensar um pouco mais sobre felicidade. É um livro imperdível para todos! Vou sentir saudades de O Segredo da Dinamarca e tudo que aprendi com a leitura. Ler é sempre bom demais!



Veja mais posts sobre cultura Dinamarca felicidade leitura livro livros opinião país política