23 de Outubro de 2017

O Renascimento do Parto – Filme completo

Já tinha um bom tempo que eu queria assistir O Renascimento do Parto. Acabei descobrindo que o Ministério da Saúde liberou o filme completo no Youtube, dividido em oito partes. É um documentário bem pequeno, mas com informações tão valiosas, que achei legal vir compartilhar com vocês.

Como eu disse outro dia, acho que a escolha do tipo de parto é uma decisão de cada mulher. O grande problema é quando não existe muito bem esse direito de escolha. Algumas vezes, por imposição de um médico que tem uma agenda apertada e não quer perder um dia inteiro com uma paciente, e outras por simples falta de informação.

Como informação nunca é demais e como o documentário O Renascimento do Parto é maravilhoso, acho que vale deixar aqui no blog para contribuir de alguma maneira com futuras mamães.

Não deixem de assistir.

O Renascimento do Parto não é um documentário bem legal?! Acho que deveria ser mais divulgado. É tão importante que as grávidas entendam melhor tudo o que está acontecendo com cada uma delas. Ontem mesmo eu falei sobre o Plano de Parto aqui no blog, pois muitas pessoas nem mesmo sabiam que esse tipo de material existia. Infelizmente, como o próprio documentário mostra, não são todos os médicos que realmente se importam com a gestante. Alguns, estão mais preocupados com o tempo que terão para atender mais e mais pacientes.

A “febre” da cesárea é tão grande aqui no Brasil, que muitos médicos passam por toda a faculdade sem quase realizar nenhum tipo de parto normal. Enquanto nos Estados Unidos e Europa a maioria dos partos ocorrem sem nenhum tipo de intervenção cirúrgica.

O Renascimento do Parto mostra o quanto falta informação verdadeira por aqui no Brasil e o quanto a intervenção cirúrgica virou “a melhor opção” para grande parte dos médicos daqui. Mas é realmente a melhor para todas as pacientes que passam por ela?

Veja mais posts sobredocumentário filme gravidez O renascimento do Parto parto Youtube
03 de Julho de 2017

Okja na Netflix – Como comer carne depois do filme?

Quando vi a capa de Okja nos lançamentos da Netflix, não me animei muito para ver o filme. Não sou muito fã de histórias de aventura, fantasia e por aí vai… Mas foi só eu assistir um trailer que estava rolando no Facebook, para que ficasse completamente encantada. Então, assim que paramos na frente da TV, não pensei duas vezes e coloquei Okja para a gente conferir.

É um filme para todas as idades e cada um vai perceber a história de um jeito. Mas o principal é que ela faz a gente pensar em como muitas vezes não pensamos naquilo que estamos comendo – pelo menos foi assim que me senti. Sou apaixonada por uma carne macia, um churrasquinho gostoso, um hambúrguer do maridão… Mas aí, enquanto eu via e me encantava com Okja, ficava pensando em como não penso nos animais na hora que estou me deliciando com um pedaço de carne vermelha.

Isso aconteceu, pois em Okja uma menina que cresceu com um super porco, que foi criado em laboratório, fica desesperada ao ver seu “bichinho” de estimação sendo levado embora por uma grande fabricante de carnes desse “super porco”. Depois de tanto amor entre os dois, ele viraria comida. E tudo o que acontece depois é praticamente o mesmo que acontece com a carne bovina e suína.

Se a gente sente tanta pena da menina e do seu “bichinho de estimação”, como não sentimos o mesmo por todos os outros que comemos todos os dias? Pelo menos no meu caso, é porque eu realmente nunca paro para pensar quando estou comendo.

Mas e agora? E depois do filme? Como posso comer uma carne vermelha sem lembrar de Okja? É claro que já assisti diversos documentários, já pensei várias vezes em virar vegetariana… Mas quando uma mensagem desse tipo pega a gente pelo coração, é mais difícil esquecer ou simplesmente deixar pra lá.

Okja é um filme imperdível! A história encanta e, sem dúvida, planta uma sementinha na gente. Recomendo o filme para todo mundo. Não importa a idade. Todos vão se sentir apaixonados pela Okja e provavelmente sentirão também aquele peso na consciência na hora de comer mais um pedaço de bife sem nem pensar sobre isso.

Veja mais posts sobre alimentação dica filme Netflix Okja