04 de Maio de 2017

Prova isso, filho – A experiência de provar novos sabores

Enquanto fazia esteira hoje de manhã, vi na Fátima Bernardes os responsáveis pelo canal no Youtube – Prova Isso, filho – e fiquei apaixonada. Primeiro porque o Gabriel é lindo, descolado e todo seguro de si!! O segundo motivo que me deixou encantada foi a ideia do canal: Pai e filho se desafiam semanalmente a experimentarem novos sabores gastronômicos. Não é demais?

Recentemente estava conversando com uma amiga justamente sobre isso.  Comentei com ela que uma das coisas que eu mais estava amando fazer era justamente essa: experimentar novos sabores. Ela disse que não curte muito isso e prefere não arriscar. Já diz logo que não gosta disso e daquilo, sem nem mesmo ter colocado um pedaço na boca.

Eu era exatamente igual, tanto que já falei aqui que até os 16 anos nem mesmo pão eu tinha provado. É claro que para criança – e para adultos também – , alguns alimentos podem mesmo ser evitados por algum tempo – principalmente aqueles que levam corantes, açúcar e por aí vai. Mas a ideia de experimentar pode ser usada em muitas outras coisas saborosas e saudáveis.

Eu tenho me surpreendido muito ao deixar o preconceito de lado por determinados alimentos. Tenho visto a gastronomia como uma viagem cultural, algo que ainda tenho muito a explorar. Foi assim, deixando o nojo de lado que nos últimos cinco anos provei: intestino de boi (chinchulines – servido nos churrascos argentinos)  e morcilla, escargot – todos esses eu pedi que não me contassem exatamente o que era até que eu tivesse comido. Dos mais normais, mas que eu não ousava experimentar: perdiz, cordeiro, todos os tipos de cogumelos, polvo… De todas as minhas restrições, as únicas coisas que eu continuo com problema são: palmito, azeitona e inhame.

Tirando os três ingredientes, tudo o que eu enchia a boca para dizer que era horrível, agora eu pelo menos experimento. Até o inhame – que por algum motivo me dá ânsia de vômito -, eu achei gostoso o jeito que o chef Rafa Costa e Silva preparou no Lasai. Então, até mesmo o que eu já comi e não gostei, volto a experimentar se tiver sido feito de outro jeito. E amo, amo, amo me surpreender com os novos sabores.

Então, se você é fresco igual a como eu já fui um dia, aprenda com o Gabriel e pelo menos experimente antes de dizer que não gosta. Acho que o amor pela gastronomia nasce daí. Achei muito legal no vídeo ver a relação do Gabriel com os alimentos. Ele cheira, observa os detalhes, faz comentários e degusta. Tenho certeza que esse será um apaixonado pela boa gastronomia. Inspiradora a ideia desse pai. Que mais e mais pessoas crianças e adultas tenham a coragem do Gabriel.

Prova isso, filho!

Veja mais posts sobregastronomia prova isso sabores Youtube youtuber
02 de Maio de 2017

CT Boucherie – Fomos conhecer e AMAMOS

Fomos comemorar o aniversário de Vinicius no CT Boucherie. Já tinha algum tempo que queríamos conhecer os restaurantes do Claude Troisgros – o foco sempre foi o Olympe -, mas acabávamos sempre indo parar em outro lugar. Nesse final de semana, resolvemos conhecer o restaurante especializado em carnes do Claude. O CT Boucherie existe no Jardim Botânico, Leblon e Barra. Ficamos com a primeira opção.

O ambiente é bem fofo e os garçons são de uma simpatia e rapidez que não vemos igual na maioria dos restaurantes. Já fui cativada no primeiro minuto no CT Boucherie. Como não sabíamos muito bem como funcionava – daqui a pouco vocês vão entender -, decidimos pedir uma entradinha antes do prato principal.

Escolhemos um aipim com queijo brie e geleia de pimenta.

Confesso que não sou fã de queijo brie, mas não sei qual é a mágica dos bons chefs de cozinha, que parecem transformar ingredientes que eu não gosto em coisas deliciosas!! Essa entradinha estava sensacional. O aipim veio como se fosse uma torradinha. Hummmmmm… Imperdível!

No cardápio existem diversas opções que parecem ser deliciosas, mas fomos ao restaurante decididos a comer carne – confesso que fiquei louca para provar o polvo caramelizado!!! – e cada um escolheu uma das muitas opções.

Eu escolhi o bife de chorizo fatiado e Vinicius pediu um ancho Black Angus. Ficamos intrigados com o rodízio de acompanhamentos, mas logo vimos os garçons passando com panelinhas para servir as outras mesas e adoramos aquela ideia. Assim, poderíamos escolher diferentes opções e na quantidade que achássemos boa para a gente – o que a escolha fixa de um acompanhamento não possibilita.

O que a gente não imaginava era que os acompanhamentos fossem tãoooooo gostosos!!! Sério!! As carnes também eram maravilhosas, claro! Mas os acompanhamentos foram as estrelas para mim, pois experimentei muitas coisas deliciosas e que foram novas para o meu paladar.

Cheguei a perguntar para Vinicius qual tinha sido o favorito dele, mas é impossível escolher uma ordem de preferência, já que praticamente todos são DIVINOS!

Feijão branco muito bem temperado, farofa panco – oh, céus! Como isso é bom -, purê de batata baroa incrível… Quando o garçom chegou com um chuchu gratinado, recusei. E aí veio aquela pergunta “tem certeza?”. Olhei para o garçom e ele ficou esperando uma resposta. Mesmo não gostando de chuchu, resolvi provar e mais uma vez tive uma grata surpresa. O que era aquilo? Simplesmente maravilhoso! Um dos melhores acompanhamentos!

Além desses que já citei também serviram um tomate recheado que estava de um jeito que eu nunca tinha comido igual. Arroz maluco, polenta com agrião, bananinha frita (amor demais!!!), batata sauté, penne com gorgonzola, legumes salteados e um purê de maçã com maracujá que eu não tenho nem palavras para descrever.

Soube que os acompanhamentos não são sempre os mesmos – o que aumenta ainda mais a minha vontade de voltar ao CT Boucherie muitas outras vezes.

Comemos muito, muito mesmo, mas ainda pedimos a sobremesa – vai gordinhos!!!. Dividimos um petit gateau de doce de leite com sorvete de tapioca, que um dos garçons disse que era sensacional. E era mesmo! Vinicius ainda pediu um cafezinho antes de encerrar.

Amo conhecer novos restaurantes e ser surpreendida com novos sabores. Essa é uma das coisas que eu mais amo na vida! Fico pensando que se o CT Boucherie já é essa maravilha imperdível, o Olympe deve ser algo de outro mundo. Espero poder ter a oportunidade de conhecer o quanto antes e o chef Claude Troisgros é mesmo incrível!



Veja mais posts sobre comer bem CT Boucherie gastronomia restaurante restaurantes