19 de Abril de 2017

Muito obrigada, Rodrigo Caio

Confesso que já faz tempo que não assisto futebol. Pois é! Logo eu que era totalmente apaixonada pelo esporte, um belo dia resolvi não mais gostar dele. Decidi ser mais feliz! E torcer para um time, como eu torcia, não era um dos grandes motivos de felicidade. Não que o meu time não me proporcionava alegria, sempre proporcionou, mas já temos problemas maiores diariamente para ainda ficar pensando em respostas para os amiguinhos que torcem para outros clubes, para as implicâncias, para a falta de vontade de um ou outro jogador e por aí vai.

Mas é claro que nem sempre eu resisto a dar aquela olhadinha para a televisão. Hoje foi assim. Bayern e Real (Cris <3) jogando, acabei me rendendo ao jogo. Foi no meio da partida que os jornalistas  começaram a falar sobre o caso do Rodrigo Caio e sem entender bulhufas do que estavam falando dele, pedi para que Vinicius me explicasse. E aí veio o meu sorriso no rosto.

Foto: Divulgação São Paulo

“Na partida de ida da semifinal do Paulistão em lance ainda no primeiro tempo, Rodrigo Caio tentou proteger a bola para evitar a chegada de Jô enquanto Renan Ribeiro se preparava para fazer a defesa. Goleiro e zagueiro se chocaram e o árbitro da partida, Luiz Flávio de Oliveira interpretou que o corintiano havia feito a falta no arqueiro e aplicou o cartão amarelo.

Rodrigo chamou Luiz Flávio e confessou que foi ele quem havia tocado Renan, fazendo com que o árbitro voltasse atrás em sua decisão.” 

“Só falei que eu tinha pisado no Renan, que não tinha sido o Jô. Cada um com sua consciência” – disse o jogador ao UOL.

O atual técnico e ex goleiro do São Paulo, Rogério Ceni, de acordo com os jornais, deu uma bronca em Rodrigo Caio por ter dito a verdade. Outros jogadores e torcedores também reclamaram. Mas eu fiquei feliz. Muito feliz!

Não importa se é no futebol, no trânsito, na cantina da esquina de casa, no baleiro… A honestidade precisa estar presente. Essa história de “roubado é mais gostoso”, tanto aplaudida e falada no futebol, é apenas um reflexo da malandragem diária de pessoas que pedem o fim da corrupção na política. Não pode ser dois pesos, duas medidas. Desonestidade é ruim em campo, no dia a dia, na vida.

Rodrigo Caio mostrou caráter ao não se aproveitar de uma situação que favoreceria bastante o seu time. Isso é tão bonito! Principalmente nos dias de hoje que, infelizmente, está bem longe de ser uma atitude normal. O jogador deu exemplo. Um belo exemplo.

Quem reclamou, brigou, bufou contra a atitude do rapaz, são as mesmas pessoas que querem a prisão de políticos. Dá para entender? Eu não consigo.

Agradeço imensamente ao jogador Rodrigo Caio que me fez ter mais uma alegria no futebol, que me fez continuar com a certeza de que ainda existem pessoas honestas e de que não existe situação  que corrompa qualquer pessoa. Quem tem caráter, não se vende quando o momento favorece, nem em nenhum outro momento.

Por mais Rodrigo Caio nos campos de futebol e na vida.

Veja mais posts sobrefutebol honestidade Rodrigo Caio