05 de Fevereiro de 2018

Prova com Interpretação de texto – Certo ou errado?

Nesse final de semana Vinicius fez uma prova de concurso público e trouxe a prova para casa. Pedi para dar uma olhada na parte de português e encontrei diversos textos e questões de interpretação. Li os textos e as respostas de múltipla escolha para essas questões e fiquei pensando se isso é realmente certo ou se Interpretação de texto, ainda mais em uma prova de múltipla escolha, não é estranho.

Quando lemos um livro, ou quando ouvimos uma história, ou até mesmo nos acontecimentos do dia a dia, cada pessoa interpreta de uma maneira. Pode ser exatamente o mesmo texto ou o mesmo acontecimento, mas toda a bagagem que a pessoa carrega de vida faz com que ela interprete aquilo do seu jeito, no contexto que está inserida.

Como realizar uma prova de múltipla escolha com interpretação de textos que são completamente subjetivos. Eram músicas, poesias e trechos de livros. Só eu acho bem estranho isso?

Lembro que há bem pouco tempo li uma matéria sobre alguém que fez uma prova e que havia a interpretação de texto de uma música, se não me engano, do Nando Reis. A pessoa errou a questão e para ter certeza que realmente estava errado, resolveu entrar em contato com o próprio cantor, que disse não concordar com a resposta “certa” da prova, pois não tinha sido aquilo que ele quis dizer.

E então? Será que não seria a hora de repensar a interpretação de texto em provas de escolas, concursos?

Sempre pensei muito sobre como acho errado o modelo de educação que domina as escolas públicas e particulares ao redor do mundo. Não é apenas no Brasil que esse modelo quadrado existe. Mas confesso que de uns tempos para cá, essa preocupação dobrou de tamanho. Quero muito que a Julia possa aprender de uma maneira menos decoreba e mais verdadeira. Quero que as habilidades dela sejam valorizadas, mesmo que não sejam para matemática, química ou biologia. E já sofro de pensar na dificuldade que vou ter para encontrar uma escola assim.

Uma escola que não acredite que só existe uma única maneira de interpretar uma música, uma poesia ou um livro. Uma escola que olhe para cada criança de maneira especial e que realmente se preocupe em ensinar e não apenas em aprovar para passar de ano e depois para o vestibular.

Talvez eu esteja errada. Talvez, você não concorde comigo. Mas eu realmente acho que interpretação de texto, de mundo, do que quer que seja, é totalmente subjetivo. E não deveria estar em uma prova, muito menos em uma prova de múltipla escolha. O que vocês acham?