08 de Fevereiro de 2017

Tag Livros: Ler é um presente

Estava dando uma passeada nos blogues que ainda não conhecia e achei uma TAG de livros muito bacana no Duas Fridas: Ler é um Presente. Não consegui resistir e resolvi responder por aqui. Afinal, dicas de livros são sempre ótimas, não acham? A TAG foi criada pelo blog  1 Pedra No Caminho.

1. “É só uma lembrancinha…” (Um livro curto ou com menos de 100 páginas que tenha te encantado.)

O Pequeno Príncipe. Acho que é um livro que TODO mundo precisa ler, principalmente nesse momento. O que precisamos no mundo é mais amor e empatia. Isso, o Pequeno Príncipe tem de sobra.

2. “Não precisava!” (Um livro que você amou ganhar de presente ou qual tipo de livro você mais gosta de ganhar.)

AMO romances!! Mas atualmente também curto livros de empreendedorismo. Um livro que eu amei ganhar? Anna e o Beijo Francês. Vinicius me deu de aniversário alguns anos atrás.

3. A embalagem perfeita (Uma capa sensacional.)

Ai, que difícil!! Acho que a capa do Querida Sue é uma dessas que eu AMO!

4. Presente dos deuses (Um livro que mudou sua vida.)

Vou ter que citar dois. Reinações de Narizinho – foi com esse livro que eu mergulhei de vez no mundo dos livros. Monteiro Lobato fez com que a minha vida fosse mais cheia de imaginação e criatividade. Lembro até hoje do cheiro do livro e da alegria que eu sentia ao descobrir todas aquelas aventuras. O Regresso, da Rosamunde Pilcher eu já li bem mais velha e foi esse livro que despertou a minha vontade de escrever histórias. Sentia uma necessidade enorme de tentar descrever cenários e sentimentos tão bem quanto Rosamunde Pilcher.

5. Surpresa! (Um livro que você começou a ler sem muitas expectativas e te conquistou.)

A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata. Gente, que livro maravilhoso!! Confesso que comprei apenas porque ele era um romance epistolar e eu sou completamente apaixonada por esse tipo de literatura, mas depois que comecei a ler, foi impossível parar. O livro é incrível!!

Também queria citar O Segredo da Dinamarca. Só não coloquei em primeiro lugar, pois ainda não consegui acabar a leitura. Mas comprei achando que não seria tão maravilhoso, pensei até que ia me arrepender, mas ele é demais.

6. “É a sua cara!” (Uma narrativa ou personagem com os quais você se identifique.)

Como não citar o meu livro – Ah, o verão! -? A Camila é a minha cara – de aparência e jeito. Risos!!

7. Presente de grego (Um livro que não era nada do que você pensava e te decepcionou.)

Trabalhe Quatro Horas Por dia. Posso até estar sendo um pouco injusta aqui, pois não li o livro todo – na verdade, nem passei da metade. Mas quando eu comprei, confesso que estava esperando um livro que falasse sobre produtividade no trabalho e gestão de tempo. Sim, ele até fala sobre isso, mas não do jeito que eu imaginava. A ideia do autor é diferente da minha no que se refere a amar o que faz e para o que você quer viver.

8. “mais afortunado é dar do que receber…” (Um livro especial que você deu de presente ou daria.)

Passarinha. Esse livro é um daqueles que todo mundo precisa ler também. Ele é sensível, apaixonante e acho que toca no coração das pessoas. É capaz de mudar a forma que entendemos o autismo.

9. “Pode trocar, se precisar!” (Um livro que você começou a ler, mas teve de parar: não deu para continuar!)

Trabalhe 4 Horas por dia. Não consegui continuar. Achei que o título era puro marketing, mas a ideia do autor é exatamente essa. Não curti até a parte que li (mentira! Até gostei do primeiro capítulo, mas não consegui ler o restante).

10. Ainda na wishlist…

A Livraria dos Finais Felizes. Como tenho muitos livros comprados e não lidos, ainda não tive coragem de comprar mais um. Entro todo dia na Amazon para ver se encontro alguma promoção, mas ele nunca ficou por menos de 30 reais. Enquanto não colocar a minha estante para correr, continuo tentando segurar a onda.




 

                             *****

Ai, gente!! Amei responder essa TAG. Anotei todas as dicas da Duas Fridas e espero que vocês também gostem das minhas dicas. Ler é maravilhoso e compartilhar as nossas listas literárias é ainda melhor. Não deixem de me contar aqui nos comentários os livros que vocês indicariam para cada uma dessas perguntas. Vou amar!!

Veja mais posts sobreleitura ler livro livros Tag
02 de Novembro de 2016

Leitura no Vagão – Esqueça também um livro

Oba!!! Hoje é dia de entrevista aqui no Blog com o idealizador do Leitura no Vagão, Fernando Tremonti! Estou programando diversas entrevistas legais. Quero usar esse meu cantinho no mundão da internet para compartilhar com vocês muitas inspirações, iniciativas bacanas, ideias interessantes, só coisas legais e que, de alguma maneira, podem mudar um pouco o mundo e a vida de alguém.
Descobri o projeto do Fernando há alguns anos, achei uma iniciativa MUITO legal e que me inspirou a esquecer alguns livros na barca, quando eu vou para o escritório, mas ainda não sabia como tinha surgido a inspiração para que ele começasse esse projeto lindo.
Espero que curtam a entrevista e que se inspirem com a atitude dele. O mundo precisa de mais atitudes como essa para se transformar em um lugar melhor. Reclamamos tanto dos políticos, mas dificilmente fazemos alguma coisa para mudar.
leitura-no-vagao
Confiram o nosso bate-papo:
Você se apresenta dizendo “Comecei a ler fervorosamente há alguns anos”, fiquei curiosa para saber como essa prática – que eu amo – começou na sua vida. Gosto muito de saber o que leva as pessoas a se apaixonarem pelos livros. Pode me contar como foi a sua experiência?
Meus pais são professores, então sempre fui estimulado a ler. Porém, num momento da minha vida me deparei com um empasse em minhas finanças.
Foi aí que peguei um livro do Gustavo Cerbasi, que é um cara que escreve sobre finanças de uma forma extremamente agradável. Após terminar o livro vi que não sabia de nada. E foi aí que comecei a tentar absorver a maior quantidade de informações possíveis. Onde? Na leitura. Eram mais de 200 livros por ano. Naquela época eu contava, como compromisso, os livros que lia.
Adorei a sua ideia de “esquecer um livro no vagão” para melhorar a vida de alguém e estimular a leitura. Confesso que também adotei essa prática de esquecer livros quando vou trabalhar. Queria que você contasse como foi a experiência de esquecer o primeiro livro. Você viu quem pegou? Tem alguma ideia do que aconteceu depois? Já teve algum retorno de alguém que encontrou um dos livros esquecidos por você?
Sempre gostei de emprestar meus livros, mesmo que não devolvessem. Os presentes que dei e darei, em sua maioria, são livros. Quando terminava um livro, independente do lugar, deixava-o ali. Isso podia acontecer em um restaurante após o almoço, numa praça, num parque, etc. Resolvi centralizar as forças no metrô que era o meu principal meio de transporte. Dentro dele lia 2 livros por semana. E se eu conseguia, qualquer um consegue. Imprimi 70 kits – marcador e etiqueta – e personalizei os livros que tinha em casa. No folder diz para quem pegar postar nas redes sociais usando a hashtag #LeituraNoVagão para sabermos o que aconteceu com o livros. É muito legal ver que alguém encontra, por exemplo: na linha amarela sendo que foi deixado na linha verde.
– Qual foi o livro que mais te marcou até hoje? Você teria coragem de desapegar e esquecer esse livro no vagão?
Não tenho um livro que mais me marcou. Acho que sou o conjunto de todos os livros que li (e que vivi). Mas sim, tenho coragem. Aliás, já o fiz faz tempo. Não acho que um livro na estante pode mudar a cabeça de alguém. Esse livro merece ser lido por outras pessoas para que este conhecimento propague-se.
 
– O que os livros mais trazem de bom para a sua vida?
A capacidade de ver diversos pontos de vista, pensar por si próprio e não ser uma pessoa automática/robótica. A cada livro aberto um novo mundo se abre. E foi por isso que o Leitura No Vagão começou da necessidade de mostrar pra todo mundo o quão maravilhoso é ler.
– O que você acha que falta no Brasil para que mais pessoas descubram o maravilhoso mundo dos livros?
Hoje em dia o livro disputa com muita coisa: redes sociais, whats app, joguinhos . Precisamos mostrar o que o livro proporciona. Talvez, algumas pessoas nem saibam disso. Por isso o livro é deixado no banco para que a pessoa se identifique de alguma forma: seja com a capa, a sinopse, o título. E quem sabe aí, se inicie o hábito da leitura. Desconectar um pouco para entrar neste mundo é sensacional!
Vamos esquecer livros por aí?!
Gostou do projeto e quer ajudar de alguma maneira? Você pode comprar alguns produtos aqui, também pode descobrir como colaborar de outras maneiras aqui. Para seguir o Leitura No Vagão nas redes sociais: Leitura no Vagão no Facebook, no Instagram e no Twitter.
Veja mais posts sobre atitudes positivas leitura Leitura no vagão ler livro livros Mundo melhor