11 de Dezembro de 2017

Chupeta – dar ou não dar?

Se tem um mundo cheio de dúvidas, opiniões e as mais diferentes experiências é o da maternidade. São muitas decisões que precisamos tomar quase diariamente e muitas vezes nos sentimos perdidas sobre o que fazer – pelo menos é assim que me sinto. A mais recente dúvida foi sobre a chupeta – dar ou não dar para a Juju?

Sinceramente, nos 15 dias de vida dela eu senti necessidade da chupeta em duas ocasiões. Por coincidência nos dois últimos sábados. Foram dias que ela praticamente se transformou em outro bebê. Normalmente ela é bem calminha, tranquilona. Mas nesses dois dias  ela ficou bem agitada e colada no meu seio. Parecia que não conseguia dormir, ficava estressada e quando saía do peito – que nem sempre ela mamava, mas usava como chupeta – começava a chorar. Era apenas o tempo de colocar para arrotar para que logo em seguida tivesse que amamentar de novo.

Conversei com a pediatra da Julia e ela disse que aquela era uma decisão nossa, não era uma decisão médica. Mas ela – como mãe – não é favorável ao uso da chupeta e até escreveu um post no blog dela sobre isso.

Nesse último sábado eu cheguei a ferver a chupeta em um momento de – não estou aguentando mais colocar no peito a cada vinte minutos!!! Mas ainda não foi uma decisão definitiva sobre dar ou não.

Resolvi pedir ajuda de outras pessoas sobre o uso da chupeta. Pedi para que os amigos contassem no meu Facebook suas experiências sobre essa decisão e mais uma vez fiquei totalmente dividida. Quem usa relatou não ter tido nenhum problema – nem de amamentação, nem de dentes, nem de nada. Quem não usa contou sobre os problemas que a chupeta causa e que por isso escolheram não usar.

Eu confesso que era quase totalmente contra a chupeta enquanto estava grávida, mas não imaginava esse tipo de agito do bebê. A decisão sobre dar ou não chupeta ainda não está resolvida, porque – graças a Deus – a Julia só foi agitada mesmo aos sábados. Mas se ela tivesse esses dias de usar o peito como chupeta em dias seguidos, eu não teria aguentado e já teria tomado a decisão. por enquanto, ainda está dando para segurar a onda. As chupetas já estão fervidas e guardadas para um momento de – não dá mais. Vamos ver se vou precisar ou se vou seguir com a ideia inicial de não usar a chupeta. Se quiserem dividir comigo a experiência de vocês, vou adorar ler!!

Veja mais posts sobrebebê chupeta Julia maternidade
08 de Dezembro de 2017

Amamentar dói, mas é maravilhoso

Sempre li que amamentar dói, mas a gente só entende o tipo de dor e o que acontece com o corpo da mulher nessa fase, quando realmente passamos por isso. Tenho várias amigas que são mães e a amamentação foi diferente para cada uma delas. Umas conseguiram amamentar sem grandes problemas, outras precisaram de pomada, de bico de silicone e algumas simplesmente não aguentaram. Nenhuma delas é melhor ou pior por cada uma das escolhas que fizeram. Acho que cada um sabe de si e do seu limite.

A Julia já nasceu mamando. Não tive nenhum problema com o leite ou com a pegada. Mesmo assim, lá pelo terceiro dia o seio começou a doer. Eu até tinha tentado pegar alguns dias de sol antes da Julia nascer, pois dizem que melhora bastante a dor do início da amamentação, mas acho que devo ter ficado pouco no sol, pois doeu pra valer.

Mas para mim, foi uma dor que dava para suportar. Sim, machucou além de doer. Chegou a ficar com uns machucadinhos, mas depois que a Julia pegava, passava uns minutinhos e a dor desaparecia. Quando o leite desceu pra valer – nos primeiros dias “fabricamos” apenas colostro, que também é importantíssimo para o bebê – usei o próprio leite no seio  -o enfermeiro que esteve comigo no trabalho de parto e pós parto me deu essa dica e foi maravilhosa. Os machucadinhos desapareceram e hoje, ainda dói um pouco, mas é apenas quando vou começar a amamentar e a Julia vem com toda a fome de bezerrinho que ela tem.

Nem nos piores momentos eu pensei em desistir de amamentar. Mordi alguns travesseiros, mas minutos depois estava me derretendo com aquela mágica. Eu mesma estou fazendo a minha filha engordar. Acho incrível saber que do meu corpo continua saindo tudo o que ela precisa para crescer e se desenvolver.

Pela estética, enfrentamos diversas situações doloridas no dia a dia. São depilações, tratamentos capilares, tratamentos estéticos para o corpo… Muitos deles doloridos pra valer. Como posso aguentar fazer a sobrancelha para ficar “mais bonita” e como posso pensar em deixar de amamentar a minha filha porque dói? Não dá, né?!

Algumas vezes eu confesso que estou morta de cansada e quase me arrasto para sentar, pegar a Julia no colo e colocar para mamar pela milésima vez. Mas é só olhar para o rostinho dela, cheio de satisfação… É só dar de cara com aqueles olhinhos de jabuticaba me olhando… Para que qualquer dor e cansaço desapareçam. É exaustivo, muitas vezes dolorido, mas amamentar também é maravilhoso. É uma conexão com o bebê inexplicável e é um momento do mais puro amor. Como abrir mão de tudo isso?




Veja mais posts sobre amamentar amamentar dói dor maternidade