09 de Junho de 2017

Diário da Gravidez – Emagreci sete quilos

Já tinha mais ou menos um ano que eu ficava fazendo tentativas de reeducação alimentar, mas sempre caía em tentação e voltava a comer um docinho aqui, outro ali… Pizza quase todo final de semana e por aí vai. Sem contar aquela cervejinha com os amigos, não é mesmo? Mas depois da gravidez, tudo isso mudou. Quando nós descobrimos que tem alguém crescendo dentro da gente, uma pessoinha que está se formando e que depende apenas da gente para se desenvolver cada dia mais… Tudo muda nas nossas vidas. E foi assim que em quatro meses eu emagreci sete quilos.

Uma das coisas que sempre tive muito claro na minha cabeça era que eu não engravidaria de maneira nenhuma enquanto não me sentisse pronta para isso. Queria que tanto eu quanto Vinicius estivéssemos no mesmo momento, com as mesmas vontades, dispostos a viver grandes mudanças em nossas vidas com a chegada de um novo alguém. Não queria engravidar porque todo mundo cobrava por isso desde que nos casamos e nem mesmo pelo passar do tempo e da idade. Acho que para viver uma grande mudança como essa, é necessário muito mais do que pressão ou tempo. É preciso construir um amor e uma vontade muito grande de viver desafios, medos, sonhos, alegrias com mais uma pessoa nas nossas vidas.

Desde que eu tinha ido na clínica geral, no final ano passado, até o momento de realmente conseguir engravidar, eu já tinha perdido dois quilos. Mesmo assim estava acima do peso, não estava me cuidando como deveria – e queria -, me enganava muitas vezes dizendo que já estava fazendo o suficiente para perder peso e cuidar da saúde… Quando nem esforço estava fazendo.

Ah, mas foi só descobrir que estava grávida para que tudo mudasse! Já na primeira consulta eu falei para a minha obstetra: Acho que vou emagrecer um pouco nesse início. Ela disse que “esse não é o momento de fazer dieta”. Claro que não é! Mas eu sabia que não teria mais coragem de comer a quantidade enorme de besteiras que estava comendo e que por isso, seria inevitável perder peso.

De qualquer maneira, para não fazer nada errado, fui em uma nutricionista de grávidas e conversei sobre tudo que eu comia até então e pedi uma orientação para uma reeducação alimentar. Passei a me alimentar de uma maneira muito mais saudável, com diversos tipos de frutas, cortei os sucos, acrescentei fibras, legumes, verduras que nunca comia e cortei doces, gorduras e frituras ao máximo. É claro que também eliminei as cervejinhas e os vinhos.

O resultado? Emagreci sete quilos em três meses. Não diminuí a quantidade de comida, mas passei a me alimentar muito, muito melhor. Passei a me sentir mais bem disposta e até mais feliz. Senti mudanças no meu corpo e mesmo com a barriguinha crescendo, as roupas que não cabiam mais em mim há algum tempo, estão servindo todas agora.

Por isso eu sempre tive muito claro na minha cabeça a importância de saber o momento certo de engravidar. O momento certo é aquele que estamos dispostos a mudar de vida sem que isso seja um peso, problema, um fardo para carregar. A minha reeducação alimentar não foi nenhum sacrifício, fiz com alegria. E sempre que eu como uma coisinha ou outra “mais gordinha”, não fico nem com vontade de comer mais um pedaço. Na verdade, parece até que já não gosto mais de nada daquilo como eu gostava antes. Agora, tenho uma coisinha muito maior que tudo isso e que me faz ter um prazer danado de buscar ser uma pessoa melhor a cada dia que passa.

Não emagreci sem orientação e nem mesmo fazendo dieta. Além da obstetra, fui na nutricionista para fazer tudo certinho. A reeducação alimentar está me deixando mais saudável, disposta e pronta para os próximos meses que vão vir por aí. Hoje foi dia de consulta e a minha obstetra – que é a mais fofa do mundo, Priscila Pyrrho – ainda disse que eu ganhei estrelinha (risos), pois mudei realmente para melhor desde que a Julia chegou na minha vida.

Veja mais posts sobreDiário da gravidez emagreci gravidez reeducação alimentar Saúde
11 de Abril de 2016

Diário da dieta

Toda segunda-feira vou contar um pouco para vocês sobre como está sendo a minha busca pelo peso ideal, uma espécie de diário da dieta. O que acham? Já tem algum tempo que eu estou tentando mudar meus hábitos alimentares, mas acabo sempre voltando para o que engorda e é mais gostoso. É difícil me manter na linha. Mas dessa vez – acho que a gente sempre fala “dessa vez vai ser diferente!” – não vou fazer nada radical. Bom, vou contar para vocês como foi a minha última semana e que sirva de inspiração para quem também está querendo mudar.

Um dos problemas principais que eu tenho na hora da dieta é: o que fazer para comer? Se fazer dieta já é chato, ainda ter que cozinhar refeições que não gostamos é ainda pior. Por esse motivo eu amei descobrir uma empresa chamada Vem Pra Cozinha, pois eles fazem exatamente isso por você. Já seguia eles no Facebook há algum tempo, mas sempre ficava na dúvida entre fechar ou não. Depois de ouvir a recomendação de uma nutricionista dizendo que eles são ótimos e que a comida é totalmente balanceada, cheguei a conclusão de que se não fizesse aquilo, não conseguiria me disciplinar para comer bem.

Vem pra cozinha

Semana passada fechei o plano da semana e passei a receber diariamente seis refeições. Confesso que me desesperei ao olhar o primeiro cardápio. Meu dia começaria com uma panqueca fit de maçã com canela e chia acompanhada por um chá de hibisco. Depois tinha um lanche, o almoço, mais um lanche, a janta e para fechar o dia também tinha a ceia. E assim eu passei a comer diariamente espinafre, ricota, saladas e mais saladas, sementes de girassol,  sopas e caldos, gelatinas, inhame, rúcula, berinjela, agrião, batata doce, vagem, pepino , abobrinha e por aí vai.

Foi fácil? Não. Mas poderia ter sido ainda mais difícil se eu mesma tivesse que cozinhar todas essas coisas. Para quem já está acostumado com uma alimentação equilibrada, alimentos mais saudáveis, esse plano alimentar é uma maravilha. Para mim foi perfeito para começar a minha reeducação alimentar, pois todos os pratos eram bem temperadinhos e gostosos – até o que eu não gostava. Mas por que eu disse que não foi fácil? Porque pra quem está acostumada a comer massa, gordices e tal, passar a semana inteira com uma alimentação regrada é bem mais difícil.

Confesso que pensei que seria pior, mas acabei me apaixonando por quase todos os pratos. Na sexta-feira foi impossível comer o café da manhã: rostie de inhame com orégano e queijo Minas com salsa. Tive ânsia de vômito depois do terceiro pedacinho e apelei para uma banana. No meio da semana tinha tomado um suco de inhame com frutas que até deu para beber, mas comer o inhame logo na primeira refeição de sexta foi totalmente insuportável. Até experimentar o Vem pra Cozinha eu nunca tinha comido inhame, então foi uma excelente maneira de saber que não consigo comer, mas que consigo beber. E pelos benefícios que ele tem, vale continuar tentando.

Tive outras surpresas no meio do caminho. Pensei que fosse odiar o espinafre, mas amei. Batata doce no café da manhã? Não queria nem levantar da cama, mas quando provei quase desejei que fosse aquilo todos os dias. Ela era cozida com mel e deixou até um gostinho de quero mais.

Como dieta só não é suficiente, também tentei fazer exercício físico. Queria fazer todos os dias, mas como tive reunião e muito trabalho, infelizmente não consegui e só caminhei duas vezes na semana passada. Espero melhorar essa meta essa semana.

Sobre como me senti com a dieta:

Na sexta-feira eu estava me achando muito menos inchada. Infelizmente a Valentina quebrou a balança aqui de casa e não tive como me pesar para ver se teve diferença na balança, mas no corpo eu sei que alguma coisa mudou, pois consegui vestir uma calça que não entrava mais. Então, isso foi um estímulo para continuar essa semana.

No dia que tive reunião no Rio tive que ter sangue de barata para resistir a um pão de queijo quentinho e suculento que colocaram na minha frente, mas eu não comi. No dia anterior, o pessoal que trabalha comigo quis sair depois da nossa reunião e eu fui, mas ao invés de beber um drinque eu levei o meu chá. Pois é! Para que ocorram mudanças, precisamos ter muita, muita força de vontade.

Já no final de semana a dieta não continuou. Não quero também ficar neurótica e triste sem poder sair com os amigos. Não metemos totalmente o pé na jaca, mas também não segui cheia de restrições. Foi quase um meio a meio. Ontem eu e Vinicius fomos no hortifruti e a nossa geladeira está recheada de coisas saudáveis para essa semana.

Dessa vez vou fazer o teste de cozinhar a dieta. Os planos do Vem pra Cozinha são semanais e para não pesar muito no bolso, decidi fazer de 15 em 15 dias. Uma semana eu não cozinho nada, na outra eu cozinho tudo. Segunda que vem eu conto para vocês como foi essa semana. Quem quiser pode me seguir no Instagram (nandabelem) e também no SnapChat (nanda.belem), pode acompanhar por lá um pouco do que ando comendo. Vamos que vamos. Dessa vez eu emagreço!

Veja mais posts sobre beleza caminhar corrida dieta emagrecer emagrecimento reeducação alimentar