08 de Fevereiro de 2017

Um presente me esperando na portaria

Estava na esteira da academia do meu prédio quando Vinicius mandou uma mensagem no meu celular “Quando acabar aí, passa na portaria, pois chegou um presente para você”. Presente? Oba!! Adoro quando chegam surpresas que não estou esperando. Fico igual criança.

Ainda bem que já estava nos minutos finais da minha caminhada, pois a minha ansiedade é sempre enorme e estava curiosa para descobrir o que era. Acho que caminhei mais rápido da academia até a portaria do que os quarenta minutos que fiz de esteira. Risos!

Cheguei lá e encontrei uma caixinha. Olhei o remetente – Luiza Morfim. Ela foi um presente que 2016 trouxe para mim. No lançamento de O Livro Delas, na Bienal de São Paulo, tive a sorte de conhecer novas leitoras – como a Lu e a Dri -, que viraram mais que leitoras dos meus livros, se transformaram em amigas que quero levar para toda a vida.

Depois da Bienal, a Luiza veio me contar o que tinha achado do meu conto. Foi a primeira opinião que recebi e todos os elogios que ela fez encheram o meu coração de alegria. Era o meu primeiro romance epistolar, não sabia o que as pessoas achariam dele, mas ela me deixou mais segura e feliz.

Passamos a conversar mais pela internet e a Luiza foi conhecendo meus outros trabalhos – Ah, o verão!, Louca Por Você e o meu blog -, foi me contando as coincidências incríveis entre a gente. Ela faz aniversário logo depois de mim e o namorado dela logo depois do meu marido. Dá para acreditar? Ela se identifica muito com as minhas histórias e isso é tão legal!

Abri a caixinha do presente lembrando de tudo isso e encontrei lá dentro uma canga linda da cidade que eu mais amei conhecer até hoje e que um dia quero voltar para morar – Florianópolis. Junto com aquele presente lindo, uma carta super fofa! Como não ficar emocionada com todo esse carinho?

Não tenho palavras para agradecer! É tão especial e tão incrível esse tipo de coisa. Pensei em Rubem Alves, quando ele diz:

“Se alguém, lendo o que escrevo, sente um movimento na alma, é porque somos iguais. A poesia revela a comunhão” .

 

Fico muito feliz por todos esses encontros, por tanto carinho que me deixa sem palavras, por saber que o que eu mais amo fazer na minha vida me faz conhecer pessoas tão especiais. Lu, obrigada por esse presente lindo.



Veja mais posts sobreFlorianópolis leitores livros presente