12 de Março de 2017

Viagem – A volta para casa

Antigamente, lembro que assim como amava fazer uma viagem, também adorava a volta para casa. Não importa o tempo que ficava fora, quando chegava o dia de voltar, ficava feliz de saber que voltaria para a minha casinha, meus amigos, minha rotina já tão conhecida por mim. Mas confesso que de uns tempos para cá essa sensação mudou.

É claro que ainda sinto falta da minha casa e fico feliz de poder voltar para ela. Meu sofá, minha cama, meus lugares favoritos no cantinho que arrumamos com tanto carinho. E, é claro, a Valentina! Quando precisamos deixar com a minha mãe – como foi o caso nesse final de semana -, vou chorando e volto completamente louca de vontade de dar um abraço apertado nela.

Sinto uma  mistura de sensações na hora de voltar para casa. O que é meu continua me enchendo de saudades, mas ao chegar ao Rio, meu coração aperta e eu começo a me sentir em estado de alerta. Fico com medo da moto que está próxima ao carro. Se o trânsito começa a ficar mais lento, sinto todo o meu corpo ficar tenso. O que está acontecendo? Também me entristeço com a falta de educação no trânsito e na vida. É só chegar ao Rio para que tudo isso aconteça.

E aí, quando a gente chega na ponte dá aquele alívio “estamos quase em casa”, mas a sensação de sempre alerta continua pelas ruas de Niterói. As notícias de assalto são diárias e parece que precisamos nos acostumar a isso.

Quem se acostuma com a violência?

O voltar para casa não é mais uma coisa alegre. A cada novo destino eu fico com aquela sensação de – “ah, como eu queria morar aqui”. Sabe? É tão bom quando podemos sair na rua sem ficar naquele estado de tensão, sem desconfiar da moto ou do carro ao lado do seu. Poder voltar a caminhar com uma bolsa – ando reparando que as  mulheres quase não usam mais bolsas em Niterói -, com tranquilidade.

Eu quero uma casa no campo…

Sim, o Rio de Janeiro é lindo! Mas infelizmente, não só de natureza linda se vive bem. É necessário muito mais do que isso. O cartão postal fica bonito só na foto – que pode nem chegar a ser postada, pois se você não tomar cuidado… tchau, câmera!

Quem pode ser feliz vivendo assim?

Voltar de viagem é uma mistura de sensações. É alegria de voltar para o nosso lar, mas a certeza de que estamos inseguros de novo. Uma pena sentir tudo isso. Mas alguém se identifica?



Veja mais posts sobredestino destinos insegurança viagem violência volta para casa